Polêmica! Guedes liga FIES às chances do ‘filho do porteiro chegar na universidade’

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o Fies, programa do governo federal que financia o ensino superior para estudantes de baixa renda, foi um “desastre”. O ministro alegou que até o filho do porteiro foi beneficiado, mesmo após zerar o vestibular.

Polêmica! Guedes liga Fies às chances do 'filho do porteiro chegar na universidade'
Polêmica! Guedes liga Fies às chances do ‘filho do porteiro chegar na universidade’ (Imagem. Edu Andrade/Ascom/ME)

Nesta terça-feira (27), em uma reunião do Conselho de Saúde Complementar, Paulo Guedes afirmou que o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é “bolsa para todo mundo”. Na ocasião, ele alegou que o filho do porteiro do prédio tirou zero nas provas e ainda conseguiu financiamento.

A declaração aconteceu sem que o ministro soubesse que estava sendo gravado. O conteúdo da afirmação foi revelado pelo jornal o Estado de S. Paulo. O ministro confirmou o teor da alegação ao Globo.

Guedes comenta a declaração

Segundo ele, o intuito não foi de criticar o acesso à educação pelas pessoas mais pobres. Guedes afirmou que o objetivo era de alertar para a baixa qualidade das universidades privadas.

Guedes disse que o Fies foi um programa exitoso, que ofereceu acesso à população. No entanto, ele destacou que prefere um voucher para as famílias mais pobres. Por isso, segundo ele, houve a citação do dilema que estava o porteiro do prédio.

Apesar desta afirmação de Guedes, o editar do programa indica uma nota mínima para que a pessoa seja aprovada para o financiamento.

O Fies

Por meio do Fies, os estudantes de baixa renda podem obter financiamento para cursar o ensino superior em universidades privadas. Os estudantes com renda mensal familiar de um a três salários mínimos podem obter vagas com juro zero.

Já os alunos com renda mensal familiar de até cinco salários mínimos podem ter financiamentos com juros variáveis. Diferentemente do Prouni, este programa não oferece bolsas, mas financiamentos.

No primeiro semestre deste ano, o Ministério da Educação informou que serão disponibilizados R$ 500 milhões para os financiamentos.

Neste ano, devido ao adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020), o Fies utilizou as notas das edições da prova de 2010 a 2019 para a seleção dos participantes.

AvatarSilvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.