Greve de ônibus em SP é cancelada após Doria prometer vacinação da classe

A greve dos metroviários, ferroviários e motoristas de ônibus que estava prevista para começar hoje, 20, em São Paulo, foi suspensa. A decisão veio após o governo do estado incluir as categorias no grupo prioritário da vacinação contra a covid-19. 

Greve de ônibus em SP é cancelada após Doria prometer vacinação da classe
Greve de ônibus em SP é cancelada após Doria prometer vacinação da classe (Imagem: Bruno Fernandes/ Fotoarena/ Estadão Conteúdo)

Os funcionários da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e do Metrô começam a ser vacinados no dia 11 de maio, segundo a gestão estadual disse nesta segunda, 19.

A campanha deve ser anunciada de forma oficial na coletiva de imprensa na tarde de hoje, 20 pelo governador João Dória (PSDB). 

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos diz que cerca de 9.500 trabalhadores devem ser vacinados. Todos os operadores de trem serão imunizados, sem limite de idade.

Os trabalhadores da área de manutenção, os funcionários das estações como seguranças e profissionais da limpeza e segurança, inclusive os terceirizados, e os funcionários das bilheterias serão vacinados a partir de 47 anos. 

A pasta diz que estes profissionais tem contato com 4 milhões de pessoas todos os dias. A categoria pede a “vacinação imediata para todos os trabalhadores do transporte público”.

Ônibus

De acordo com o Sindicato dos Motoristas de Ônibus (Sindmotoristas), o governo se comprometeu a incluir os profissionais do setor no grupo prioritário após três horas de reunião com representantes da atual gestão. O início da vacinação para estes profissionais deve ser comunicada na próxima quinta, 22.

Vacinação em São Paulo

No estado, estão sendo imunizados os idosos com mais de 67 anos, profissionais da educação com mais de 47 anos e servidores da segurança pública, como os bombeiros e policiais.

Amanhã, 21, feriado de Tiradentes, começa a vacinação para idosos com 65 e 66 anos.

Levantamento

De acordo com o levantamento do Sindmotoristas, até o último dia 15 de abril, eram 2084 contaminações confirmadas na categoria e 167 mortes registradas.

Já o Metrô contabilizou 22 mortes entre seus funcionários, além de cerca de 1.500 contaminados, segundo a contagem do sindicato dos Metroviários.

Entre trabalhadores da CPTM, estimativa do sindicato é de quase 50 mortes entre os ferroviários.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.