Ligado ao governo de São Paulo, Butantan anuncia vacina brasileira contra COVID-19

Na manhã desta sexta, 26, o Instituto Butantan comunicou a conclusão satisfatória de testes pré-clínicos, feitos em cobaias, da nova vacina desenvolvida totalmente no Brasil. A vacina foi desenvolvida com o uso do vírus inativo da gripe viária. 

Ligado ao governo de São Paulo, Butantan anuncia vacina brasileira contra COVID-19
Ligado ao governo de São Paulo, Butantan anuncia vacina brasileira contra COVID-19 (Imagem Google)

O governador de São Paulo, João Dória, comemorou o resultado afirmando ser um momento histórico para o país. “Trata-se da primeira vacina fabricada 100% com tecnologia nacional”, disse.

O governo do estado disse que a Butanvac deve ser distribuída nos próximos meses. É esperada a fabricação de 40 milhões de doses a partir do mês de maio. Se a projeção se confirmar, é possível que a vacinação comece em julho.

Dória disse que os testes em voluntários devem começar já no mês que vem, mediante a autorização da Anvisa. O Butantan deve solicitar ainda hoje, o pedido para o início da primeira fase de testes.

O instituto deve enviar hoje também os certificados de protocolo da Butanvac para a OMS (Organização Mundial de Saúde).

“O desenvolvimento da vacina começou um ano atrás”, afirmou o diretor do Butantan, Dimas Covas. “Em um mês, devemos terminar a fase de avaliação clínica e aí iniciar de fato a produção”.  

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
OPORTUNIDADE
Novo Cartão de crédito queridinho do Brasil, sem anuidade e que você pode solicitar agora 34.787 pessoas já solicitaram

Covas diz que na Butanvac é utilizada a mesma tecnologia de fabricação da vacina para gripe, aplicada em 80 milhões de pessoas todos os anos no Brasil.

A Butanvac foi criada em ovos embrionários, uma tecnologia já utilizada largamente na fabricação de vacinas que combatem doenças das aves. O proteína S integral do Sars-CoV-2 foi colocada no vírus inativo da gripe viária.

“Hoje, precisamos ter uma esperança de retorarmos a nossa vida. A vacina é a nossa esperança. Não dependeremos de insumos de fora, com isso produziremos mais vacinas”, disse o secretário de Saúde do governo de São Paulo,  Jean Gorinchteyn.

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.