Auxílio emergencial regional: Como os governadores estão buscando conter a crise?

Pontos-chave
  • O auxílio emergencial ajudou mais de 68 milhões de brasileiros a enfrentar os impactos da doença na economia;
  • Sem a liberação de novos pagamentos em 2021, governadores e prefeitos bancam auxílio emergencial regional;

Criado durante a pandemia de Covid-19, o auxílio emergencial ajudou mais de 68 milhões de brasileiros a enfrentar os impactos da doença na economia. Sem a liberação de novos pagamentos em 2021, governadores e prefeitos bancam auxílio emergencial regional.

Auxílio emergencial regional: Como os governadores estão buscando conter a crise?
Auxílio emergencial regional: Como os governadores estão buscando conter a crise? (Imagem: Reprodução/Google)

O auxílio emergencial contemplou no ano passado 68 milhões de brasileiros. Foram nove parcelas, sendo cinco de R$ 600 e quatro de R$ 300. O repasse da ajuda financeira aconteceu até 31 de dezembro e 2020.

Com o avanço da pandemia de Covid-19 e o aumento de casos e mortes pela doença, os parlamentares pressionaram o governo para fazer a prorrogação do auxílio. Após muita reluta por parte do Executivo, a proposta foi levada ao Congresso.

Após aprovação, o pagamento da nova rodada do auxílio emergencial deve começar a partir do dia 5 de abril. Porém, o número de beneficiados será reduzido para 45 milhões e os valores das parcelas irão variar entre R$ 150, R$ 250 e R$ 375.

Durante o primeiro trimestre de 2021, alguns governadores e prefeitos decidiram bancar um auxílio emergencial regional. O intuito foi garantir condições financeiras à população mais carente, para bancar o alimento e moradia, mesmo diante da pandemia.

Diante disso, cerca de 9 Estados e 8 capitais já anunciaram ou já estão oferecendo o auxílio emergencial regional. O valor repassado também visa incentivar o isolamento social em meio a retomada de medidas restritivas mais rígidas.

Os auxílios regionais devem pagar este ano um montante superior a R$ 1 bilhão. O auxílio emergencial regional é independente da União e utiliza recursos do próprio Estado ou município.

Sendo assim, a definição do valor e da quantidade das parcelas é variável, assim como, a contemplação dos beneficiados. Por exemplo, a capital paulista irá pagar três parcelas de R$ 100 enquanto o Estado do Pará fará o pagamento de parcela única de mesmo valor.

Auxílio emergencial regional do município de São Paulo

O programa irá beneficiar cerca de 1,2 milhão de paulistas. Serão três parcelas, com valor variável entre R$ 100 e R$ 200. Os pagamentos começaram no final desse mês, e segue entre os meses de abril e maio.

Auxílio emergencial regional: Como os governadores estão buscando conter a crise?
Auxílio emergencial regional: Como os governadores estão buscando conter a crise? (Imagem: Reprodução/Google)

Os depósitos começaram ontem, quinta-feira (25), para quem possui o Número de Identificação Social terminado em 1 e 2. Nessa sexta-feira (26), o depósito será para o NIS terminado em 3 e 4.

Na próxima semana, o crédito da renda básica emergencial paga pela prefeitura de São Paulo será depositados para o NIS com final 5 e 6 (segunda-feira 29), 7 e 8 (terça-feira 30) e, por fim, 9 e 0 (quarta-feira 31).

O valor será destinado para beneficiados do Bolsa Família e comerciantes ambulante e informais que não são contemplados pelo programa assistencial. O pagamento será feito pela Caixa Econômica Federal, podendo também, movimentar o valor pelo Caixa TEM.

Auxílio emergencial regional do município do Rio de Janeiro

A prefeitura do Rio anunciou o Auxílio Carioca. Esse irá contemplar cerca de 900 mil pessoas e custará a capital R$ 100 milhões. O programa terá quatro vertentes. A primeira será contemplar 50 mil famílias inscritas no programa Família Carioca e que devem receber, em média R$ 240.

A segunda será beneficiar 643 mil estudantes da rede municipal de ensino, por meio do Cartão Alimentação, no valor de R$ 108,50. A terceira vertente é o pagamento de R$ 200 para 23 mil famílias em situação de vulnerabilidade social e que não são atendidas pelo Bolsa Família ou pelo Auxílio Carioca.

Por fim, o último grupo contemplado no Auxílio Carioca será 13 mil vendedores ambulantes cadastrados na prefeitura. Esses irão receber R$ 500 mensais, já que são os mais afetados pela crise econômica gerada pela pandemia.

Auxílio emergencial regional do município Niterói

O auxílio emergencial pago pela prefeitura de Niterói contempla: taxistas, ambulantes, artesãos, pessoas assistidas pelo CadÚnico e famílias com alunos matriculados na rede municipal de ensino de Niterói.

As parcelas são de R$ 500 e estão sendo pagas desde junho do ano passado. A medida deve permanecer até o término da campanha de vacinação contra a Covid-19. O programa seria finalizado em março deste ano, mas com o avanço da doença, a prefeitura decidiu continuar os pagamentos até quando for necessário.

Glaúcia Alves
Gláucia Alves, formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Foi professora por 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, além de realizar consultoria de redação on-line.