Taxa de desemprego tem alta recorde em 20 estados brasileiros

A pandemia do coronavírus agravou a situação do mercado de trabalho no ano passado e 20 estados brasileiros bateram recorde na taxa média de desemprego. Os dados são do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)  e foram divulgados nesta quarta, 10.

Taxa de desemprego tem alta recorde em 20 estados brasileiros
Taxa de desemprego tem alta recorde em 20 estados brasileiros (Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Os resultados regionais seguiram a média nacional. Segundo o IBGE, a taxa média anual de desemprego no Brasil em 2020 foi de 13,5%, a maior porcentagem desde o início da série histórica da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios).

As maiores taxas de desemprego foram registradas nos estados do Nordeste e as menores, no Sul. Apenas em sete estados a taxa de desemprego média do ano não bateu recorde. São eles: Pará, Amapá, Tocantins, Piauí, Pernambuco, Espírito Santo, e Santa Catarina.

Entre os 20 estados que obtiveram resultados recorde, 12 tiveram a taxa superior à media nacional. Os estados que ficaram com os índices abaixo da média nacional foram: Rondônia, Ceará, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás.

Dados do IBGE

  • Em quinze estados, mais de 50% da população estava sem emprego
  • O Rio de Janeiro é o único estado fora do Norte e Nordeste que possui menos da metade da população ocupada
  • A queda disseminada da informalidade pelo país puxou alta do desemprego
  • No 4º trimestre, o desemprego diminuiu em somente cinco estados
  • O desemprego é maior entre mulheres, jovens, pretos e pardos
  • Bahia tinha o maior número de desalentados do país
  • Piauí teve a maior taxa de trabalhadores subutilizados; Santa Catarina, a menor
  • Amapá tinha a maior proporção de trabalhadores por conta própria; DF, a menor
  • Maranhão tinha o menor percentual de carteira assinada; Santa Catarina, o maior
  • Rendimento médio caiu no Sudeste e Nordeste no 4º trimestre.

Menos de 50% da população ocupada 

O nível de ocupação da população ficou abaixo dos 50% em quinze estados do país, a maioria do Nordeste e do Norte. Sendo assim, menos da metade da população em idade para trabalhar nestes locais tinha ocupação em 2020.

O resultado mais preocupante foi registrado em Alagoas. Fora da região Norte e Nordeste, o Rio de Janeiro foi o único estado a registrar índice de ocupação menor que 50%.

Segundo o IBGE, a população ocupada em todo o Brasil diminuiu em cerca de 7,3 milhões de pessoas, em comparação com 2019.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.