Dólar ultrapassa R$ 5,80 e chega ao maior valor desde a metade de 2020

Justiça determina que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva poderá se candidatar à presidência em 2022 e mercado financeiro reage. Nessa terça-feira (09), o dólar amanheceu com uma média acima de R$ 5,80, após fechamento em R$ 5,7788 diante de decisão do Supremo Tribunal Federal. Abaixo, entenda as projeções para os próximos dias.

Dólar ultrapassa R$ 5,80 e chega ao maior valor desde a metade de 2020 (Imagem: Google)
Dólar ultrapassa R$ 5,80 e chega ao maior valor desde a metade de 2020 (Imagem: Google)

A política brasileira poderá impactar diretamente em alterações no poder de compra e venda do dólar. Após o ministro do STF, Edson Fachin, retirar todas as acusações contra o ex-presidente Lula, a moeda americana passou a registrar alterações de 1,33%, sendo cotada a R$ 5,8559.

A máxima das últimas 24h foi de R$ 5,8744, mas o dia de investimentos ficou instável diante das possíveis mudanças políticas. Na última segunda-feira (08), o avanço do dólar foi de 1,7%, trata-se do maior valor já obtido desde maio de 2020, quando a comercialização da moeda foi de R$ 5,7788.

Com o informe de possível eleição com Lula em 2022, seu preço caiu para R$ 1,3% nesta manhã. A previsão é de que ao longo dos próximos dias, a depender da tomada de decisões do STF com o juiz Sergio Moro, o mercado tenha uma reação ainda mais efetiva.

Entenda como o cenário político afeta os investimentos

Após 5 anos de julgamento, Lula teve seus direitos políticos recuperados nessa segunda-feira (08). Sob determinação do ministro Fachin, o ex-presidente não deverá ser mais investigado pelo caso do Triplex, o que significa uma possível concorrência para Bolsonaro nas eleições de 2022.

No último fim de semana, a imprensa nacional compartilhou um levantamento feito pela Inteligência em Pesquisa e Consultoria (Ipec), afirmando que Lula seria o candidato com o maior potencial para vencer Bolsonaro. De acordo com os dados, o nordestino teria mais votos que o atual gestor.

Para os investidores as informações resultam em alterações constante no mercado. Há um receio de que o governo se influencie por um caminho mais populista, o que significa uma desvalorização nas aplicações.

Com a aprovação do auxílio emergencial e possível reforma do Bolsa Família, muitos afirmam que Bolsonaro tenha deixado de lado sua política econômica liberal. Isso implica dizer em novas possíveis quedas no dólar.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.