Auxílio emergencial 2021: Quem vai receber parcela máxima de R$375,00?

Governo define parcela máxima do auxílio emergencial. Nessa semana, fontes federais informaram que o novo teto do coronavoucher será de R$ 375. A quantia, no entanto, não será destinada para todos os segurados a serem contemplados. Há ainda um piso de R$ 150 para outro grupo específico.

Auxílio emergencial 2021: Quem vai conseguir parcela máxima de R$375,00? (Imagem: Reprodução/Google)
Auxílio emergencial 2021: Quem vai conseguir parcela máxima de R$375,00? (Imagem: Reprodução/Google)

A definição do orçamento do auxílio emergencial tem sido a principal pauta trabalhada pelo governo federal. Nessa semana, os gestores informaram que foram definidas as parcelas e grupos a serem contemplados pelo programa. Nessa rodada, cerca de 45 milhões de pessoas deverão ser inclusas.

Parcelas do novo auxílio emergencial

Segundo as últimas informações concedidas, o Ministério da Cidadania estará concedendo a cota máxima de R$ 375 para as mães de família solteiras. Na primeira rodada do programa, o mesmo grupo tinha direito ao salário de R$ 1.200 por mês.

Já o valor mínimo será de R$ 150 destinado para famílias compostas por apenas uma pessoa. Trata-se de uma modalidade de pagamento inédita, não ofertada em 2020.

Por fim, o valor médio repassado para a maioria da população será de R$ 250 sendo levando em consideração os critérios mínimos de renda.

Nessa nova rodada, terá direito a receber o benefício quem tiver comprovado meio salário mínimo (R$ 550 por pessoa) e até três salários mínimos (R$ 3,3 mil família total).

Validação do projeto

Nesse momento, a proposta vem sendo trabalhada em Brasília e depende exclusivamente da aprovação da PEC emergencial que irá definir o andamento da folha orçamentária do programa.

O governo espera que os R$ 36 bilhões em gastos previstos ao longo dos próximos meses não sejam contabilizados no teto do orçamento federal.

Ao todo, o programa deverá contar com o pagamento de quatro mensalidades ofertadas entre maio e julho. Quem for segurado do Bolsa Família deverá ter direito a complementação de renda desde que não ultrapasse o teto mencionado acima.

Cadastramento e triagem

O governo informou ainda que não será necessário criar um novo cadastramento dos segurados. Isso porque deverá utilizar os dados registrados no CadÚnico em 2020.

A população deve receber ainda por meio do Caixa Tem, o que significa que a Caixa Econômica Federal deverá atuando em parceria na definição dos segurados.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.