Valor da gasolina tem reajuste maior que salário mínimo de 2021

Somando todos os reajustes no preço da gasolina somente neste ano, o resultado supera o reajuste do salário mínimo de 2021. Em média, houve um aumento de cerca de 7,7% no preço do combustível, contra um reajuste de 5,25% do salário mínimo. Os dados são da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Valor da gasolina tem reajuste maior que salário mínimo de 2021
Valor da gasolina tem reajuste maior que salário mínimo de 2021 (Imagem: Google)

O reajuste mais recente nas refinarias aconteceu na segunda-feira (1º). Foi o quinto apenas deste ano. Acumulados, os aumentos somam 41,5% e afetam diretamente o valor dos combustíveis nos postos de gasolina de todo o Brasil.

“O reajuste é repassado quase diretamente ao consumidor pelos postos, porque a margem de lucros dessas empresas não é alta o bastante para absorverem o aumento de custo”, avalia o economista Paulo Casaca, professor do Ibmec.

De acordo com um levantamento do Mercado Mineiro, apenas na capital, álcool, diesel e gasolina aumentaram cerca de R$ 0,50 em um mês. A tendência é de novos reajustes.

Toda essa mudança tem impacto direto no valor do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação nacional e interfere na variação do salário mínimo do próximo ano.

“Movimentos no preço da gasolina são muito importantes para a inflação, porque, além de ser um item que todo mundo usa direta ou indiretamente, o transporte de mercadorias depende de combustível”, explica o economista.

De acordo com a Petrobras, responsável pelos reajustes, o aumento deve-se ao valor dos produtos no mercado internacional e à taxa de câmbio.

Atualmente, o governo federal se diz lutando pela criação de um fundo de estabilização dos combustíveis na estatal. Além disso, o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto para cortar os impostos federais sobre os combustíveis durante dois meses.

“Não creio que isso tenha impacto significativo na redução do preço. Mesmo zerar os impostos não vai conseguir contrabalançar o aumento dado neste ano. O reajuste de hoje pode não ser refletido nas bombas, por causa da redução dos impostos, mas isso não vai dar conta de reduzir preços ao patamar em que estavam no final de 2020, por exemplo”, avalia o coordenador do Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (Ineep), Rodrigo Leão.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Isabela Veríssimo
Isabela Veríssimo é jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) com passagens por redações, desde 2016, como o Diario de Pernambuco, Jornal do Commercio e Rede Globo. Atualmente dedica-se à redação de economia do portal FDR.