Ministério do Trabalho define regras para autorizar demissões na FORD

O MPT (Ministério Público do Trabalho) informou que a montadora Ford, que recentemente anunciou o fim das atividades no Brasil, só poderá realizar uma demissão em massa após o término das negociações coletivas.

Ministério do Trabalho define regras para autorizar demissões na FORD
Ministério do Trabalho define regras para autorizar demissões na FORD (Imagem Google)

Através de uma nota assinada pelo Grupo Especial de Atuação Finalística (GEAF) do MPT, os procuradores disseram que a Ford só poderá demitir seus funcionários após esgotarem todos os meios de discussão.

Na nota, o MPT, deseja esclarecer a liminar do desembargador Edilton Meireles de Oliveira Santos, da Justiça do Trabalho da 5ª Região (Bahia). De acordo com o GEAF, a liminar não tratou sobre dispensas em massa. 

A decisão somente elucidou alguns pontos da sentença anterior da Justiça do Trabalho de Camaçari (BA), que havia determinado negociações com o Sindicato dos Metalúrgicos.

Segundo o MTP, a liminar autorizou a montadora a dispensar de forma individual os funcionários que tenham cometido justa causa e suspendeu a determinação de que a Ford apresente informações a respeito de toda a rede de contratos impactadas pelo fim das atividades no país. 

A nota do GEAF diz também que as demais exigências, permanecem válidas. Segundo o Ministério Público do Trabalho, a ação que determinou as negociações coletivas tem como finalidade mitigar o impacto social e econômico do término da atividade da Ford no Brasil. 

Em janeiro, a Ford anunciou o fechamento de todas as fábricas no Brasil, após 101 anos de atividade.

Parceria da Ford com o Procon garante peças aos consumidores

O Procon de São Paulo e a Ford Motor Company, assinaram um acordo no qual a empresa se compromete a manter a assistência ao consumidor no Brasil. Com operações de venda, serviços, assistência técnica, peças de reposição e garantia para seus clientes.

O acordo abrange todo o país e fica vigente durante toda a vida útil dos veículos vendidos pela marca.

“O acordo garante a tranquilidade de quem já possui um veículo da montadora ou que venha a adquirir um. Vale destacar que o acordo é válido para todo o Brasil”, disse o diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez.

A Ford comunicou em janeiro deste ano o fim de suas atividades produtivas no Brasil e o fechamento de suas duas fábricas em Camaçari (BA) e Taubaté (SP). Permanecem em operação somente o Centro de Desenvolvimento, na Bahia; o Campo de Provas, em Tatuí (SP); e sua sede regional, em São Paulo.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.