Famílias de baixa renda tem alívio nas despesas após queda na conta de luz

Estudos revelam que inflação vem diminuindo o ritmo ao longo das últimas semanas. Nessa semana, o Instituto de Pesquisa Econômica (Ipea) apresentou um novo relatório onde mostra as variações do mercado nacional. Segundo os dados, a conta de luz para a população de baixa renda ficará menor. Além disso, há outros valores em queda.

Famílias de baixa renda têm alívio nas despesas após queda na conta de luz (Foto: Google)
Famílias de baixa renda têm alívio nas despesas após queda na conta de luz (Foto: Google)

Um dos principais efeitos financeiros do novo coronavírus foi a forte crise econômica que vem afetado todo o país. Da classe baixa até a mais alta, a população vem sentindo o peso da inflação em uma série de serviços como alimentação e até mesmo na conta de luz. No entanto, conforme contabilizou Ipea, as próximas semanas podem ser positivas.

População de baixa renda tem conta de luz reduzida

Nos últimos 12 meses a inflação vem afetando fortemente a população mais pobre do país. Para esse grupo, houve um acréscimo de 6,20% nos valores de uma série de produtos e serviços.

Na conta de luz, porém, foi possível registrar uma deflação de 5,6% para as próximas semanas, o que significa que as cobranças poderão vir mais baratas.

Para quem vive de aluguel, há também boas notícias. A inflação caiu em 1,58% desde dezembro de 2020, alterando ainda o preço do botijão de gás e dos alimentos como: o arroz (baixou de 3,84% para 0,24%), carnes (3,58% para -0,08%), frango (2,75% para -0,07%), leite (157% para -1,35%) e óleo de soja (4,99% para -1,08%).

“Em janeiro, embora a pressão no preço dos alimentos ainda tenha sido registrada, esse impacto foi menor do que em dezembro. Onze dos 16 itens que compõem o subgrupo de alimentação apresentaram desaceleração da inflação“, disse o Ipea em nota.

Inflação para a classe média

No caso das famílias com renda mais alta, há também quedas, mas em 0,29%, logo após registrar 1,05% em dezembro de 2020. Isso implica dizer que nas contas de luz, por exemplo, não haverá uma redução considerável de preço. Já na gasolina, há indícios de reajuste em aproximadamente 2,17%.

“Além dos combustíveis, os reajustes de 0,66% dos planos de saúde e de uma série de serviços pessoais, como costureira (1,32%), depilação (1,28%) e cartório (7,82%), ajudam a compor esse quadro de desaceleração inflacionária menos intensa para as famílias mais ricas”, explicou o Ipea.

Para poder determinar tais números o Ipea utiliza seu indicador de inflação por faixa de renda, levando em consideração os valores registrados no IPCA e demais dados contabilizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.