Quem tem direito ao seguro desemprego de R$1,9 MIL?

Valor do seguro desemprego é reajustado em 2021. Com a correção do piso nacional, os brasileiros que forem demitidos sem justa causa agora poderão receber mensalidades de R$ 1.900 por meio do benefício trabalhista. No entanto, é preciso ficar atentos pois há uma série de requisitos para garantir a inclusão no programa.

Quem tem direito ao seguro desemprego de R$1,9 MIL? (Imagem: Google)
Quem tem direito ao seguro desemprego de R$1,9 MIL? (Imagem: Google)

O seguro desemprego nada mais é do que um salário ofertado pelo governo federal para o trabalhador que for demitido sem justa causa.

Por meio dele a população ganha um período mínimo de 3 meses para reorganizar as finanças e tentar se realocar no mercado.

Quem tem direito ao seguro desemprego?

Apesar de ser destinado aos trabalhadores demitidos, há ainda variações que podem conceder o pagamento. Inicialmente, o direito é destinado para o cidadão que for demitido sem justa causa e trabalhe em regime CLT.

Nesse caso, ele precisa comprovar o vínculo em sua carteira de trabalho e ter sua documentação atualizada e registrada na base de dados do governo federal. Uma vez em que tem o contrato suspenso, basta apresentar o desligamento e solicitar o benefício.

Outra forma de também ter direito ao seguro é quando o cidadão trabalha como pescador em período defeso. Nesse caso, o valor será ofertado especificamente durante a baixa temporada de pesca, mas o cidadão deverá também estar registrado nas plataformas federais.

Por fim, os trabalhadores encontrados em regime similar à escravidão fazem parte do grupo de contemplados. Nessa situação, é preciso fazer uma denúncia no ministério público, sendo o empregado obrigado a exercer suas atividades sem receber salário ou qualquer outro benefício trabalhista.

Valor do seguro desemprego

A definição do valor exato varia de acordo com a média salarial do solicitante. Para definir o benefício o governo contabiliza os últimos três salários concedidos antes de sua demissão, podendo assim fazer a média a ser repassada.

É preciso ainda levar em consideração o piso nacional em vigor, atualmente de R$ 1.100 e a quantidades de vezes em que o benefício foi solicitado.

Tire a média do seu salário dos últimos três meses, e aplica o resultado nos cálculos abaixo:

  • Até R$ 1.686,79: multiplica-se o salário médio por 0,8 (80%)
  • De R$ 1.686,90 a R$ 2.811,60: o que exceder R$ 1.686,79 será multiplicado por 0,5 (50%) e somado a R$ 1.349,43
  • Acima de R$ 2.811,60: a parcela será de R$ 1.911,84, invariavelmente

  

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA