Volta às aulas em São Paulo adiado! Governador define nova data de retorno

O adiamento da volta às aulas em São Paulo acontece juntamente com a divulgação de novas medidas de enfretamento ao Covid-19. As prefeituras ainda terão autonomia para decidir sobre a retomada. Saiba mais agora!

Volta às aulas em São Paulo adiado! Governador define nova data de retorno
Volta às aulas em São Paulo adiado! Governador define nova data de retorno (Imagem/Reprodução: Google)

Recentemente do Governo de São Paulo divulgou as medidas de prevenção que serão adotadas na educação de todo o estado, tanto pública quanto particular.

Agora, João Dória, governador do estado, noticiou que a volta às aulas em São Paulo prevista para ser iniciada em 1º de fevereiro deve começar apenas em 8 do mesmo mês.

Apenas as escolas da rede particular estão autorizadas a retornarem na data anterior.

 Mudanças quanto a volta ás aulas em São Paulo

A mudança de data do retorno das atividades presenciais veio junto com a divulgação de que a capital paulista regrediu de fase, passando da amarela para a laranja. Além disso, Bauru, Franca, Presidente Prudente, Sorocaba e Taubaté passaram para a fase vermelha, a mais restritiva.

Além da mudança na data, o Governador também anunciou que retirou a obrigatoriedade de envio dos estudantes para a escola.

Isto é, em todas as cidades paulistas que estiverem na fase vermelha ou laranja, não há mais a obrigatoriedade dos responsáveis enviarem os estudantes para as aulas presenciais.

Os pais continuarão a escolher escolher entre enviar o estudante ou permanecer com o ensino remoto, mas a escola deve permanecer aberta.

“O que tiramos foi obrigatoriedade de enviar alunos às escolas nas fases laranja e vermelha. Quando chegar na amarela, a situação é outra”, afirmou Rossieli Soares, Secretário de Educação de São Paulo.

Com a retirada dessa obrigatoriedade, muda também uma outra determinação, a de que, pelo menos, um terço das aulas sejam feitas de forma presencial.

Como deve ser a volta às aulas em São Paulo?

As medidas de biossegurança já determinadas pelo governador deverão ser cumpridas pelos profissionais da educação.

A volta às aulas em São Paulo deve acontecer respeitando o limite máximo de 35% de ocupação.

O distanciamento social deve permanecer. E as medidas de higiene, tanto dos locais quanto dos alunos e profissionais deverão ser mantidas também.

Vale lembrar que as prefeituras permanecem com autonomia para decidir pelo retorno ou não.

Continue bem informado, siga acompanhando a editoria de Carreiras do FDR.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jamille Novaes
Jamille Pereira Novaes é graduada em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), pós-graduada em Gestão da Educação pelo Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU). Como professora de Língua Portuguesa, já atuou no ensino fundamental I e II. Atualmente, trabalha como professora de Língua Portuguesa no ensino técnico e redatora da editoria de carreiras do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA