Colapso em Manaus: O que o governo tem feito para conter crise?

Na sexta-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro afirmou em suas redes sociais que disponibilizou todos os meios para atender a população do estado do Amazonas, em Manaus. Os moradores sofrem um colapso em seu sistema de saúde, acumulando recordes de casos do novo coronavírus e hospitais sem oxigênio para salvar a vida dos pacientes.

Colapso em Manaus: O que o governo tem feito para conter crise?
Colapso em Manaus: O que o governo tem feito para conter crise? (Foto: Google)
publicidade

“Como relatamos na live de ontem [quinta-feira]: transporte de oxigênio, transferência de pacientes para hospitais federais da região, etc”, escreveu Jair Bolsonaro em sua conta no Facebook, listando as medidas realizadas pelo governo federal.

Bolsonaro destacou ainda que o fato do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ficou três dias em Manaus nesta semana. 

Além disso, a publicação veio acompanhada de uma imagem que mostra o valor transferido pelo governo federal para o estado e seus municípios.

O valor enviado foi de R$8,91 bilhões de acordo com os dados do Portal da Transparência.

Em uma live no Facebook, Pazuello afirmou que a situação do sistema de saúde da cidade de Manaus pode ser considerada em colapso.

“O que caracteriza esse colapso é exatamente você não poder atender a fila e ter uma letalidade muito alta”, disse Pazuello.

Ele ainda comentou sobre a normalização do fornecimento de oxigênio para a cidade é a prioridade do governo federal neste momento.

“A fila para leitos cresce bastante. Já estamos com 480 pessoas na fila. A realidade da diminuição da oferta de O2, não é interrupção, é diminuição da oferta. Há uma redução da oferta, estamos priorizando esse O2 nas UTIs”, afirmou.

Transporte de oxigênio

A Força Aérea Brasileira (FAB) fez o transporte de oxigênio líquido para aumentar a disponibilidade no Amazonas.

Segundo o Comando da Aeronáutica, o avião C-130 Hércules transportou 6 cilindros de oxigênio líquido, totalizando 9.300 kg de carga, e chegou na madrugada na sexta a Manaus.

“Outros 25 mil metros cúbicos em isotanques também estão na programação de voos desta semana da FAB, partindo do aeroporto de Guarulhos”, disse o governo do estado.

Três aviões são usados para levar para outras cidades do país alguns paciente com coronavírus internados em Manaus.

Os aviões foram fabricados pela Embraer: dois EMB 145 e um turboélice, o EMB 120, que recebeu o nome comercial de Brasília.

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.