Lucro do FGTS tem queda histórica em 2020 e pode prejudicar trabalhadores

FGTS tem sua rentabilidade reduzida em 2020. Utilizado como uma das medidas para conter a crise econômica do novo coronavírus, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) vem perdendo seu valor de investimento. Até o ano de 2019, o programa continha um saldo de cerca de R$ 11,703 bilhões, sendo reduzido em quase 50% nos últimos 12 meses.

Lucro do FGTS tem queda histórica em 2020 e pode prejudicar trabalhadores (Imagem: Reprodução/Google)
Lucro do FGTS tem queda histórica em 2020 e pode prejudicar trabalhadores (Imagem: Reprodução/Google)
publicidade

O FGTS é uma das formas do trabalhador se assegurar em caso de demissão ou demais situações emergenciais. Para poder gerar uma espécie de poupança, mensalmente seu salário é descontado de modo que resulte nos saldos retidos no fundo de garantia.

Além de servir como uma espécie de segurança para a população, o programa ainda é visto como um investimento. Ao deixar os valores rendendo, o cidadão tende a ter um lucro significativo mediante a quantia total, porém esse cenário vem sendo ameaçado.

Rentabilidade do FGTS é reduzida

Com a crise do novo coronavírus, o governo federal passou a conceder uma série de saques por meio do FGTS. Dessa forma, o saldo total retido em 2019, de aproximadamente R$ 11 bilhões, foi reduzido para cerca de R$ 6 bilhões em 2020.

Tendo seu montante minimizado, significa que o trabalhador passará a perder os lucros dos valores retidos.

Conforme explicam os analistas, a queda da rentabilidade afeta diretamente a conta dos cidadãos. O atual retorno das contas do FGTS e de 4,9%, ou seja, maior que a quantia paga na caderneta de poupança (4,26%) e do IPCA (4,31%) de 2019, representando cerca de 80% do CDI do ano (5,94%).

Pandemia em foco

Como mencionado, o principal motivo para a redução do saldo total do FGTS foi a pandemia do novo coronavírus. Uma das estratégias do governo para manter o poder de compra e venda em todo o país e assim garantir a evolução do PIB foi a liberação de saques extras.

O intitulado saque emergencial permitiu que milhares de trabalhadores retirassem R$ 1.045 de seus FGTS. Além disso, Bolsonaro criou também o saque aniversário onde é possível que o cidadão tire quantias anuais.

É válido ressaltar, por fim, que ambas as medidas deverão ser mantidas em 2021, o que significa que o fundo de garantia irá perder ainda mais sua força econômica.

Eduarda AndradeEduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco e formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.