Bolsonaro dá resposta OUSADA sobre prorrogação do auxílio emergencial em 2021

“Pergunta para o vírus”, respondeu o presidente da república, Jair Messias Bolsonaro (sem partido), ao ser questionado, em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, sobre a prorrogação do auxílio emergencial para os primeiros meses de 2021.

Bolsonaro dá resposta OUSADA sobre prorrogação do auxílio emergencial em 2021
Bolsonaro dá resposta OUSADA sobre prorrogação do auxílio emergencial em 2021 (Imagem: Reprodução/Google)

Na terça-feira (24) o presidente participou de um encontro com apoiadores e foi questionado sobre a possibilidade de mais uma prorrogação do auxílio emergencial. É importante lembrar que o benefício já passou por duas prorrogações.

O auxílio, a princípio, era um programa para ser pago por três meses com parcelas de R$ 600. Porém, devido ao aumento de casos e a continuação da quarentena, na qual foi instalado o isolamento social e o fechamento de locais públicos e comércio, a ajuda foi prorrogada por mais duas parcelas.

No mês de setembro, Bolsonaro anunciou a segunda prorrogação, porém com algumas mudanças. As novas parcelas, chamadas de parcelas extensão tiveram o valor reduzido pela metade, ou seja, ficando R$ 300.

Além disso, os pagamentos não podem ultrapassar este ano, por isso, só pode ser pago até dezembro. Dessa maneira, apenas os beneficiários do Bolsa Família e os trabalhadores que começaram a receber em abril terão acesso as nove parcelas.

Os beneficiários fora do Bolsa Família que começaram a receber entre maio e julho também terão acesso a, pelo menos, uma parcela extensão. Com essas mudanças, muitos brasileiros que já recebiam o Bolsa Família voltaram ao recebimento antigo, já que supera o que, atualmente, está sendo pago.

A questão agora é sobre a possibilidade de uma nova prorrogação, já que o país pode vim a enfrentar a segunda onda de Covid-19, assim como está acontecendo nos países europeus. Além disso, o governo não conseguiu criar um novo programa que pudesse substituir o auxílio.

Questionado sobre essa possibilidade, o presidente respondeu:

“Pergunta para o vírus… A gente se prepara para tudo, mas tem que esperar certas coisas acontecer… esperamos que não seja necessário. Espero que não seja necessário porque é sinal (de) que a economia vai pegar e não teremos novos confinamentos no Brasil. A gente espera que não seja necessário e que o vírus esteja realmente de partida no Brasil, tá o.k.?”.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.