Ibovespa Futuro abre o dia com leve alta em decorrência de acontecimentos no cenário externo

No início desta quarta-feira (11), o Ibovespa Futuro iniciou em alta. A abertura do índice para dezembro esteve com o registro de 105.510 pontos. O número foi pouco acima do fechamento anterior, com 105.018 pontos. A produção da vacina para combater a covid-19 segue com a atenção dos investidores.

Ibovespa Futuro inicia o dia em alta com o prosseguimento dos testes da vacina contra a covid-19
Ibovespa Futuro inicia o dia em alta com o prosseguimento dos testes da vacina contra a covid-19 (Imagem: Lorenzo/Pexels)

Já por volta das 10h17, o Ibovespa Futuro apresentou queda de 0,15%, aos 104.865 pontos. O índice futuro do dólar este com aumento de 0,30%, aos 93,017 pontos.

Índices internacionais

Alguns dos principais índices futuros dos Estados Unidos apresentam alta na manhã de hoje. O Dow Futuros apresenta crescimento de 0,68%, aos 29.518,0 pontos. O S&P 500 registrou aumento de 0,83%, aos 3.570,38. O Nasdaq teve variação ainda maior, de 1,31%, aos 11.770,75 pontos.

Pela Europa, o Euro Stoxx aumentou em 0,46%, aos 3,460 pontos. O suíço SMI variou positivamente em 1,84%, aos 10.499,00. Na Alemanha, o DAX subiu 0,42%, aos 13.226,3 pontos.

Vacina contra o coronavírus

A vacina contra a covid-19 da Pfizer e BioNTEch, que indicou 90% de eficácia, tem animado os investidores. Com o sucesso momentâneo dos testes, diversos países têm buscado firmar parceria para adquirir doses para a população.

A União Europeia garantiu a compra de 300 milhões de doses. Com isso, os 27 países pertencentes poderão adquirir 200 milhões, sendo que as outras 100 milhões estarão disponíveis conforme a situação.

Política nacional

O grande destaque da mídia por ontem foi por conta de declarações do presidente Jair Bolsonaro. Em sua conta no Twitter, o político comentou sobre a suspensão dos testes da vacina Coronavac, após a morte de um voluntário.

“Esta é a vacina que o Doria queria obrigar a todos os paulistanos tomá-la. O presidente disse que a vacina jamais poderia ser obrigatória. Mais uma que Jair Bolsonaro ganha”, comenta.

Por outro lado, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, rebateu pelo Twitter as declarações de Bolsonaro: “Entre pólvora, maricas e o risco à hiperinflação, temos mais de 160 mil mortos no país, uma economia frágil e um estado às escuras”.

“Em nome da Câmara dos Deputados, reafirmo o nosso compromisso com a vacina, a independência dos órgãos reguladores e com a responsabilidade fiscal. E a todos os parentes e amigos de vítimas da covid-19 a nossa solidariedade”, prossegue.

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Ibovespa Futuro abre o dia com leve alta em decorrência de acontecimentos no cenário externo

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do FDR produzindo conteúdo sobre economia.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA