Oportunidade: Leilão de imóveis em São Paulo será realizado este mês; confira detalhes

Neste mês de novembro, mais de 400 imóveis serão leiloados no estado de São Paulo. São casas, apartamentos, terrenos, lotes e salões comerciais. Dos imóveis que se encontram disponíveis para leilão, 75 casas tem lance mínimo a partir de R$13.725,66 e 202 apartamentos com lances a partir de R$63 mil.

Oportunidade: Leilão de imóveis em São Paulo será realizado este mês; confira detalhes
Oportunidade: Leilão de imóveis em São Paulo será realizado este mês; confira detalhes (Foto: Google)
publicidade

A capital do estado tem mais de 100 imóveis disponíveis para leilão, já no interior, o número aumenta para 274, sendo que 103 deles são apartamentos e 96 são lotes para construção.

O litoral do estado tem mais de 30 apartamentos disponíveis para leilão, principalmente na cidade de Santos.

O leilão será feito pelo site oficial do Mega Leilões, especializada em fazer leilões judiciais e extrajudiciais e arremates.

Os leilões judiciais acontecem através de um processo judicial que envolve a execução de dívidas do antigo proprietário do bem ou imóvel. No caso de imóveis, eles têm um lance inicial específico, denominado 1ª praça, que pode ser maior do que a avaliação. Se o imóvel não for arrematado nesse primeiro período, ocorre uma segunda ou até uma 3ª praça, e os lances diminuem para até 60% do valor avaliado. 

“O imóvel de leilão judicial é uma boa oportunidade de investimento, principalmente pelos lances de 2ª praça, em que o valor cai mais da metade. Cabe ao investidor analisar o cenário econômico atual, devido a queda na taxa de juros e, assim, diversificar a carteira”, disse Fernando Cerello, leiloeiro da Mega Leilões.

Cuidados ao realizar a compra de um imóvel

Por mais que os descontos sejam atrativos, antes de comprar um imóvel em um leilão é preciso tomar alguns cuidados. O primeiro é escolher imóveis que estejam desocupados, pois muitas vezes a saída do morador da casa arrematada pode ser discutida na Justiça, mesmo que o comprador tenha em mãos uma carta de arrematação que possibilita que a desocupação seja solicitada. 

Para ir à Justiça, o comprador do imóvel necessitará fazer a contratação de um advogado. É importante ressaltar que a data de desocupação pode demorar mais do que o esperado. 

Também é importante pesquisar se o imóvel tem outras dívidas. Os pagamentos desses débitos serão de responsabilidade do comprador.

Giovanna FreitasGiovanna Freitas
Giovanna Freitas é graduanda na Universidade Anhembi Morumbi (UAM), atualmente é redatora do portal FDR produzindo pautas sobre finanças.