Quer começar a viver de renda? Conheça as vantagens e desvantagens para você e o seu bolso

Como forma de viver de renda, diversas pessoas procuram cada vez mais sobre as opções de investimentos. Para saber qual a melhor forma de aplicar o dinheiro, o interessado deve pesquisar na melhor solução. Entre as diversas disponíveis, há o aluguel e os títulos do Tesouro Direto com juros semestrais. Confira as características positivas e negativas de cada forma.

Confira duas opções de investimentos para viver de renda
Confira duas opções de investimentos para viver de renda (Imagem: Pixabay)

Aluguel

Por meio do aluguel, a pessoa que realiza o investimento em um imóvel poderá ter o retorno mensal. O valor a ser ganho pode ser maior, caso haja uma valorização da localidade.

Para aumentar as chances de valorização, a localização deve ser considerada. Um imóvel em regiões próximas de pontos estratégicos, como comércios e lugares turísticos, por exemplo, são mais propensos a melhorarem o valor.

Por outro lado, o interessado em investimento imobiliário deve estar ciente dos riscos. A garantia de recebimento pode ser instável. Caso não tenha inquilinos no imóvel, não haverá ganhos.

Os gastos com as cobranças regulares e manutenção também precisam ser considerados. Além disso, esta opção demanda maior valor a ser investido. O imposto de renda a ser pago apresenta uma alíquota progressiva.

Tesouro Direto com juros semestrais

Neste caso, o investidor recebe o valor do título de forma periódica, a cada seis meses. O rendimento ocorre por meio do cálculo da taxa de juros na compra do papel.

Como vantagem em relação ao aluguel, o investimento pelo tesouro direto com juros semestrais pode ser feito em menor quantia. Dessa forma, pessoas com menor renda podem se aventurar nessa modalidade.

A alíquota do imposto de renda é regressiva. Ou seja, a incidência sobre o rendimento diminui conforme o tempo. O valor inicial será de 22,5% para os rendimentos de até seis meses depois da aplicação. Este número diminui até 15%, em que os investimentos passam de dois anos.

Além do problema desse valor incidido, o investidor que optar por este modelo pode ter dificuldade em ter um dinheiro de forma mais frequente, como ocorre no caso do aluguel.

Como o recebimento acontece a cada seis meses, a pessoa terá que realizar um planejamento, de forma com que não haja falta nos meses sem o recebimento. Para solucionar este problema, a pessoa poderá variar nas opções de títulos. Sendo assim, o dinheiro poderá ser recebido em um tempo menor.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.