Tesouro Direto: Resgates de títulos públicos foram superiores as compras pelo terceiro mês consecutivo

Na última sexta-feira (23), o Ministério da Economia divulgou números do Tesouro Direto em setembro. Houve o registro de 403.225 emissões de títulos públicos por este programa, com o valor foi de R$ 1,86 bilhão. Com relação aos resgates, totalizou R$ 2,02 bilhões. No balanço geral, a emissão líquida ficou negativa de R$ 168,48 milhões.

Resgates de Tesouro Direto: foram superiores as compras pelo terceiro mês seguido
Resgates de Tesouro Direto: foram superiores as compras pelo terceiro mês seguido (Imagem: Fabian Blank/Unsplash)

O mês de setembro foi o terceiro consecutivo em que foram registradas mais emissões que resgates. Foram 1.359.609 investidores ativos no Tesouro Direto. Este número representa um aumento mensal de 14.954 pessoas. Com relação aos investidores cadastrados, a quantidade é de 8.386.216.

A maior parte das aplicações foi no valor de até R$ 1 mil — cerca de 67,42% das operações no mês. Na média das operações, a quantia registrada foi de R$ 4.602,00.

Títulos mais procurados

O Ministério da Economia divulgou que o título que teve mais demanda pelos investidores foi o indexado à taxa Selic (Tesouro Selic), com participação de 39,91% das vendas.

Em seguida, os títulos indexados à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) registraram 35,40% do valor total. Os títulos prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais) tiveram participação em 24,68% do resultado total.

“A maior parcela de vendas se concentrou nos títulos com vencimento entre 1 e 5 anos, que alcançaram 45,58% do total. As aplicações em títulos com vencimento acima de 10 anos representaram 26,67%, enquanto os títulos com vencimento de 5 a 10 anos corresponderam a 27,75%”, aponta o Ministério da Economia.

Estoque do programa

O mês de setembro terminou com R$ 61,49 bilhões no estoque do Tesouro Direto. Esta quantia representa alta de 0,41% na comparação com agosto, quando teve o total de R$ 61,24 bilhões.

Os títulos com maior participação foram os remunerados por índices de preços. A soma foi de R$ 29,99 bilhões, o que equivale a 48,78% do total. Em seguida, os títulos indexados à Taxa Selic contabilizaram R$ 19,44 bilhões (31,63%). Por fim, os títulos prefixados tiveram a soma de R$ 12,05 bilhões (19,60%).

“Quanto ao perfil de vencimento dos títulos em estoque, a parcela com vencimento em até um ano fechou o mês em R$ 3,68 bilhões, ou 5,99% do total. A parcela do estoque vincendo de uma cinco anos foi de R$ 36,07 bilhões (58,65%) e o percentual acima de cinco anos somou R$ 21,74 bilhões (35,35%)”, finaliza.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.