Renda emergencial de R$100 pode ser inclusa no Bolsa Família dos moradores de SP

Pontos-chave
  • Renda emergencial garante bonificação no salário do programa nacional;
  • Pagamento deve durar três meses aos beneficiários do Bolsa Família e trabalhadores informais;
  • 1,65 milhão de beneficiários do Bolsa Família estão aptos a receber a ajuda.

O projeto de renda emergencial, sugerido pelo vereador da cidade de São Paulo, Eduardo Suplicy (PT), garante o pagamento de um ajuda financeira no valor de R$ 100 durante três meses aos beneficiários do Bolsa Família e trabalhadores informais, residentes na capital paulista.

Renda emergencial de R$100 pode ser inclusa no Bolsa Família dos moradores de SP
Renda emergencial de R$100 pode ser inclusa no Bolsa Família dos moradores de SP (Imagem: FDR)

O pagamento de uma ajuda financeira de R$ 100 seria para cada integrante  beneficiado pelo Bolsa Família, vendedores ambulantes, trabalhadores informais e outros que foram atingidos pela pandemia do coronavírus.

A ideia é pagar três parcelas, beneficiando 1,7 milhão de pessoas no município de São Paulo. O atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), decidiu aprovar a lei do vereador Suplicy e informou a iniciativa em sua conta do Twitter.

O presidente da Câmara de vereadores, Eduardo Tuma (PSDB), garantiu que o projeto será votado essa semana. A ideia é que na próxima terça-feira (20) seja votado em primeiro turno, e na próxima quinta-feira (22) o segundo turno.

Segundo Tuma, “Vamos sim conseguir aprovar o projeto porque haverá uma união de esforços na Câmara Municipal tanto da situação quanto da oposição para que a votação seja bem sucedida”.  Essa não é a primeira vez que o projeto de lei entra para votação na Câmara Municipal, porém das outras duas vezes, não recebeu votos suficientes para a aprovação.

Por esse motivo, de acordo com Eduardo Suplicy, o pedido era feito diretamente a Covas.

“Fiz um apelo, até mandei um vídeo para o Bruno Covas, e fui ter um encontro com o secretário da Fazenda, da Casa Civil, e mostrei a eles que é viável, são só três meses, R$ 100 por mês”, afirma Suplicy.

Segundo o gabinete de Suplicy, 1,65 milhão de beneficiários do Bolsa Família estão aptos a receber a ajuda. Além disso, outros 50 mil inscritos no programa “Tô Legal” da Prefeitura de São Paulo, também serão contemplados, custando R$ 510 milhões aos cofres, durante os três meses.

O pagamento da ajuda financeira pode ser prorrogado, caso seja necessário, sendo que o recurso, provavelmente, sairá dos dezesseis fundos municipais que tiveram as receitas desvinculadas para serem usadas em caráter emergencial durante a pandemia, que em maio era de R$ 2,3 bilhões.

Eleições na cidade de São Paulo e a renda emergencial

Bruno Covas (PSDB) é o atual prefeito de São Paulo e é candidato à reeleição, por esse motivo, a aprovação do Projeto de Lei que visa o pagamento de renda emergencial de R$ 100 foi criticada pelos demais concorrentes, que viram a medida uma estratégia política prestes a eleição.

Renda emergencial de R$100 pode ser inclusa no Bolsa Família dos moradores de SP
Renda emergencial de R$100 pode ser inclusa no Bolsa Família dos moradores de SP (Imagem: Reprodução/Google)

O município conta com quatorze candidatos a prefeitura da capital paulista sendo que, segundo o Ibope, em sua última pesquisa divulgada a disputa é a seguinte:

  • Celso Russomano (Republicanos): 26%;
  • Bruno Covas (PSDB): 21%;
  • Guilherme Boulos (PSOL): 8%;
  • Márcio França (PSB): 7%;
  • Vera Lúcia (PSTU): 2%;
  • Antonio Calos (PCO): 1%;
  • Arthur do Val (Patriota): 1%;
  • Levy Fidelix (PRTB): 1%;
  • Marina Helou (REDE): 1%;
  • Joice Hasselmann (PSL): 1%;
  • André Marazzo (PSD): 1%;
  • Orlando Silva (PCdoB): 1%;
  • Jilmar Tatto (PT): 1%;
  • Filipe Sabará (Novo): 0%

Atualmente, Russomano é o líder nas pesquisas, sendo seguido pelo atual prefeito, Bruno Covas. Por esse motivo, a medida de aprovar uma renda emergencial às vésperas da eleição foi vista com desconfiança pelos demais concorrentes.

Todos os outros candidatos apresentam propostas de programas de transferência de renda para amenizar os impactos negativos da pandemia de Covid-19, tanto na economia da cidade como nas famílias paulistanas.

Russomano, por exemplo, mostra em seu programa de TV uma afinidade com o Governo Federal nesse aspecto.

Segundo o marqueteiro de Russomanno, Elsinho Mouco, o desespero do atual prefeito é tão grande ao ver a segunda posição na eleição de 2020 que fez se unir ao Suplicy do PT.

Russomano é o líder nas pesquisas, com 26% das intenções de voto, contra 21% de Covas.

Josué Rocha, coordenador da campanha de Boulos, afirma que “Covas quer compensar quatro anos de descaso com a periferia com um tuíte às vésperas das eleições. Nós sempre defendemos a proposta de uma renda solidária e propusemos que ela fosse implementada desde o início da pandemia”.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves, formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Foi professora por 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, além de realizar consultoria de redação on-line.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA