UFV vai usar R$ 2 milhões para aumentar VAGAS na moradia estudantil do campus

A Universidade Federal de Viçosa (UFV) vai ampliar o número de vagas nas moradias estudantis, voltada para alunos em vulnerabilidade socioeconômica. A ideia é reativar o “Alojamento Velho” do campus Viçosa, desativado desde 2018.

UFV vai usar R$ 2 milhões para aumentar VAGAS na moradia estudantil do campus
UFV vai usar R$ 2 milhões para aumentar VAGAS na moradia estudantil do campus (Imagem: Reprodução/ UFV)

A UFV receberá da Samarco R$ 2 milhões referentes às multas devido o rompimento da barragem do Fundão, em 2015, em Mariana (MG).

Com o valor, a Universidade Federal de Viçosa pretende reformar o alojamento já existente e, assim, ampliar o número de vagas nas moradias estudantis para os estudantes que se enquadram em situação de baixa renda.

As multas são decorrentes de uma ação por danos morais coletivos movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) contra a minerado Samarco, responsável pelo rompimento da barragem do Fundão no estado de Minas Gerais.

O repasse do valor pago por multas para a UFV já foi confirmado e publicado no Diário Oficial, como “extrato de convênio”, pela Procuradoria Regional do Trabalho (PRT) da 3ª Região.

A reforma tem previsão para ser finalizada em 2022. Com isso, a partir da entrega da obra será possível alojar mais 176 estudantes. Esses irão se juntar aos 1.114 já ofertados nos outros cinco espaços do campus: “Feminino”, “Novo”, “Novíssimo”, “Pós” e “Posinho”.

Os alojamentos da UFV

A universidade foi fundada como Escola Superior de Agricultura e Veterinária (ESAV) em 1926. Nesse período, como a instituição sempre abrangeu os campos de pesquisa, ensino e extensão, os estudantes eram exclusivamente homens.

O edifício Bello Lisboa, ou, como é popularmente conhecido, “Alojamento Velho”, foi construído dois anos após, em 1928, para alojar os alunos que precisavam se dedicar em tempo integral aos estudos.

Em 1952, com a criação do curso de Economia Doméstica, é que a universidade, até então chamada de Universidade Rural do Estado de Minas Gerais (UREMG), viu a necessidade de criar um alojamento feminino. Por isso, em 1963 foi construído o edifício do “Alojamento Feminino”.

Em 1969 a universidade foi federalizada, tornando-se a UFV. Com isso, foram ampliadas as moradias estudantis, sendo construídos os alojamentos “Novo” e “Novíssimo”. Na década de 80, com a disponibilização de cursos de pós-graduação, foram construídos mais dois prédios de moradia estudantil, o “Pós” e “Posinho”.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.