Auxílio emergencial: 6 MILHÕES deixarão benefício sem receber parcelas de R$300

PONTOS CHAVES

  • O governo prorrogou o pagamento do auxílio emergencial até dezembro;
  • O valor do benefício caiu pela metade, ou seja, serão pagos R$300;
  • Aqueles que demoraram a ser aprovados podem não receber.

Aqueles trabalhadores que foram aprovados para receber o auxílio emergencial e a primeira parcela foi paga depois de abril, vão ter direito a menos parcelas da prorrogação do auxílio no valor de R$300. Inclusive, alguns podem ficar até sem receber.

Auxílio emergencial: 6 MILHÕES deixarão benefício sem receber parcelas de R$300
Auxílio emergencial: 6 MILHÕES deixarão benefício sem receber parcelas de R$300 (Foto: Google)

Essa prorrogação é chamado de Auxílio Emergencial Residual, e foi oficializado em uma Medida Provisória que foi publicada no início do mês de setembro.

O texto informa que o benefício será pago até o final do ano, independente do número de parcelas.

De acordo com o Ministério da Cidadania, vão ser realizados os pagamentos de até quatro parcelas no valor de R$300. 

Porém, apenas os trabalhadores que receberam o auxílio em abril vão ter direito de receber todas as quatro parcelas, que serão pagas em setembro, outubro, novembro e dezembro.

Sendo assim, não serão contemplados aqueles que foram aprovados no lote 7, que fizeram sua inscrição nas agências dos Correios entre 8 de junho e 2 de julho.

Os trabalhadores que tenham feito a contestação entre 3 de julho e 16 de agosto também não devem receber a parcela de R$ 300.

O socorro financeiro está com suas regras ainda mais restritas, fazendo com que mais de 6 milhões dos atuais beneficiários não recebam esta segunda rodada do benefício.

Sendo assim, o governo estima que a economia será de R$5,7 bilhões por mês, que até o final do ano vai somar R$22,8 bilhões, de acordo com os técnicos da economia que fazem parte do governo.

O ministério da cidadania que é responsável por fazer o controle dos benefícios informou por meio de sua assessoria que aconteceu uma redução de cerca de 921 mil inscritos por conta das fraudes ou irregularidades no cadastro.

Apesar disso, a pasta não informou o motivo de terem sido excluídos mais de 4,8 milhões de cadastros sem explicar se esses beneficiários só poderão receber uma parte dessas quatro parcelas.

Pelo site, foram liberados cerca de R$176,6 bilhões em crédito até o final do mês de agosto para cerca de 66,7 milhões de inscritos. 

Porém, são cerca de 67,2 milhões de pessoas elegíveis, ou seja, que poderiam receber o auxílio. Até agora, foram gastos com o auxílio cerca de R$2,542 bilhões.

Quem não vai receber?

Auxílio emergencial: 6 MILHÕES deixarão benefício sem receber parcelas de R$300
Auxílio emergencial: 6 MILHÕES deixarão benefício sem receber parcelas de R$300(Imagem: Reprodução Google)

Não vão receber as parcelas extras aqueles que:

  1. Possua indicativo de óbito nas bases de dados do governo federal
  2. Tenha menos de 18 anos, exceto em caso de mães adolescentes
  3. Esteja preso em regime fechado
  4. Tenha sido declarado como dependente no Imposto de Renda de alguém que se enquadre nas hipóteses dos itens 5, 6 ou 7 acima
  5. No ano de 2019 recebeu rendimentos isentos não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte cuja soma seja superior a R$ 40 mil
  6. Tinha em 31 de dezembro de 2019 a posse ou a propriedades de bens ou direitos no valor total superior a R$ 300 mil reais
  7. Recebeu em 2019 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70
  8. Mora no exterior
  9. Tem renda mensal acima de meio salário mínimo por pessoa e renda familiar mensal total acima de três salários mínimos
  10. Recebeu benefício previdenciário, seguro-desemprego ou programa de transferência de renda federal após o recebimento de Auxílio Emergencial (exceto Bolsa Família)
  11. Conseguiu emprego formal após o recebimento do Auxílio Emergencial

Como receber?

Aqueles que já receberam o auxílio não precisam solicitar o pagamento dessas novas parcelas. 

Elas serão pagas de forma independente, para isso basta os beneficiários se encaixar nos critérios.

Os beneficiários do Bolsa Família recebem da mesma forma que o benefício normal. Já os outros beneficiários, devem receber pelo aplicativo e só poderão fazer a movimentação do dinheiro depois que o calendário liberar.

Reavaliação

A realização dos pagamentos das novas parcelas do auxílio estão condicionadas a reavaliação dos beneficiários aprovados, isso deve acontecer ao longo dos pagamentos. Os critérios serão verificados mensalmente pelo governo.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.