Recebeu auxílio emergencial a partir de abril? Novas parcelas de R$300 NÃO estão garantidas

O auxílio emergencial do Governo Federal foi prorrogado até dezembro com mais quatro parcelas de R$ 300. As quatro cotas do benefício, no entanto, são válidas apenas para os beneficiários que receberam a primeira parcela ainda em abril. Quem começou a receber posteriormente, terá acesso a menos cotas, pois ainda estará recebendo os pagamentos antigos.

Recebeu auxílio emergencial a partir de abril? Novas parcelas de R$300 NÃO estão garantidas
Recebeu auxílio emergencial a partir de abril? Novas parcelas de R$300 NÃO estão garantidas (Foto: reprodução Google)

“Serão pagas até quatro parcelas do novo valor. Contudo, o benefício acaba em dezembro deste ano, ou seja, quem começou a receber o Auxílio Emergencial em abril, terá direito às quatro parcelas. Quem passou a receber a partir de julho, por exemplo, terá direito a apenas uma parcela do novo benefício, que será paga no mês de dezembro”, informou o Ministério da Economia.

A decisão já estava prevista na Medida Provisória (MP) 1.000/2020, publicada em 2 de setembro, que estabelece as regras para o pagamento. O documento aponta que o benefício será repassado até 31 de dezembro. 

Quem vai receber as novas parcelas do auxílio emergencial?

O pagamento da prorrogação do benefício emergencial será feito aos segurados do Bolsa Família, por exemplo. Este grupo não precisa realizar um novo cadastro para receber o benefício. Nesse sentido, as parcelas já serão depositadas automaticamente. Essas famílias já receberam cinco parcelas do auxílio emergencial.

Trabalhadores informais, autônomos, microempreendedores individuais (MEIs), desempregados sem seguro-desemprego e inscritos no CadÚnico sem direito a Bolsa Família. Este grupo, teve que se inscrever para receber o benefício a partir de 2 de abril. 

Novos critérios

O Governo Federal definiu novos critérios para continuar com o repasse do auxílio emergencial. Nesse sentido, nem todos que receberam o auxílio emergencial no valor de R$ 600 vão continuar recebendo as cotas adicionais no valor de R$ 300. 

Confira quem está de fora das novas parcelas:

  • Passou a ter vínculo empregatício formal ativo após o recebimento do auxílio emergencial, seja na iniciativa privada ou no serviço público (incluídos os ocupantes de cargo ou função temporários ou cargo em comissão de livre nomeação e exoneração e os titulares de mandato eletivo)
  • Recebe seguro-desemprego
  • Mora no exterior
  • Tem renda superior a meio salário mínimo por pessoa da família (R$ 522,50). Ou familiar acima de três pisos nacionais (R$ 3.135)
  • Tem benefício previdenciário ou assistencial (exceto o Bolsa Família)
  • Recebeu, em 2019, rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70
  • Tinha, em 31 de dezembro de 2019, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, incluída a terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil
  • Tenha recebido, em 2019, rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil
  • Tenha sido incluído, em 2019, como dependente de declarante do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF), na situação de cônjuge; companheiro com o qual o contribuinte tenha filho ou com o qual conviva há mais de cinco anos; ou filho ou enteado com menos de 21 anos ou menos de 24 anos, desde que esteja matriculado em estabelecimento de ensino superior ou de ensino técnico de nível médio
  • – Esteja preso em regime fechado
  • Tenha menos de 18 anos de idade, exceto no caso de mães adolescentes
  • Tenha indicativo de óbito nas bases de dados do governo federal

 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

REDAÇÃO
Cobertura e repercussão de assuntos que impactam o bolso de todos os brasileiros. A redação do FDR.com.br traz diariamente assuntos relevantes de uma forma descomplicada e confiável.