Alta no valor do arroz tem realmente a ver com o pagamento do auxílio emergencial?

Elevação da cesta básica é influenciada pelo auxílio emergencial, afirma o governo. Em entrevista para a Globo News, o vice presidente Hamilton Mourão afirmou que o alto preço do arroz deve ser atribuído a distribuição das novas parcelas do coronavoucher. De acordo com ele, a injeção financeira vem ampliando a lei da oferta e da procura, tendo em vista que a população agora passar a ter mais recursos na hora de ir ao supermercado.   

Alta no valor do arroz tem realmente a ver com o pagamento do auxílio emergencial? (Imagem: Google)
Alta no valor do arroz tem realmente a ver com o pagamento do auxílio emergencial? (Imagem: Google)
publicidade

Para os brasileiros que estão indo aos supermercados, foi possível notar que o preço da cesta básica subiu consideravelmente. O arroz está entre os produtos mais caros e a justificativa do governo federal é que se trata de uma reação da cadeira produtiva que está ciente das novas liberações financeiras pelo auxílio emergencial.  

Questionado sobre o assunto, Mourão garantiu que a elevação será passageira, mas que nada mais é do que um reflexo da injeção econômica aplicada por sua gestão.

Para ele, a partir do momento em que novos auxílios são liberados, o povo passa a ter valores até então não disponíveis e assim amplifica seu poder de compra.  

“Uma porção de gente está comprando porque o dinheiro que o governo injetou na economia foi muito acima do que as pessoas estavam acostumadas, tanto que está havendo grande compra de alimentos e de material de construção. As pessoas estão se alimentando melhor e melhorando suas casas, essas são duas áreas nas quais está havendo bastante gasto”, afirmou o vice-presidente em Brasília. 

Dólar contribui para este cenário 

O gestor lembrou também que as exportações de arroz estão maiores mediante a elevação do preço do dólar. O produto vem se tornando cada vez mais atrativo em outros países o que amplifica a busca no mercado interno.  

“Também estamos vendendo bastante para o mercado externo. A área plantada de arroz nos últimos anos diminuiu porque os arrozeiros tiveram muito prejuízo, aí o cara muda de ramo. Agora eles estão replantando”, disse.  

Reajuste temporário  

Ainda sobre o mesmo assunto, o governo garantiu que a elevação dos preços será de forma temporária. Quanto a isso, o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida explicou que mais a frente a cadeira produtiva reduzirá as cobranças mediante o fluxo continuo de compras.  

“A recente alta dos preços de alguns alimentos é uma alta transitória e localizada. Ela decorre sobretudo das transferências de recursos para parcelas mais pobres da população, no esforço que o governo fez para combater os efeitos da crise do coronavírus”, afirmou Sachsida. 

Eduarda AndradeEduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.