Febraban acredita em limite maior para oferecimento de empréstimo consignado

PONTOS CHAVES

  • As instituições financeiras estão aptas para elevar a margem de empréstimos consignados a idosos
  • Foi identificado um aumento entre 60% a 70% no número de golpes contra os idosos
  • A Febraban lançou campanha com o intuito de ajudar a população a reconhecer possíveis golpes.

O presidente da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), Isaac Sidney, confirmou na manhã de ontem (2) que as instituições financeiras estão aptas para elevar a margem de empréstimo consignado a idosos. O objetivo é evitar que eles mudem para contratos com juros mais altos.

Febraban acredita em limite maior para oferecimento de empréstimo consignado
Febraban acredita em limite maior para oferecimento de empréstimo consignado (Imagem Google)

Em um evento do governo federal em que foram divulgadas ações em favor dos idosos por conta da pandemia do coronavírus, Sidney disse que este aumento na margem de empréstimos pode ajudar o idoso a não cair numa ciranda financeira.

“Nós temos percebido que muitos idosos têm migrado do crédito consignado para créditos mais caros. E os bancos estão prontos para atender a uma recomendação do Conselho Nacional de Previdência Social para aumentar a margem consignável e evitar que o idoso acabe acessando linhas de crédito mais caras” disse.

Sidney não se aprofundou nos detalhes de como seriam estas alterações de valores e margens para os empréstimos.

No seu discurso, ele mostrou que as instituições financeiras identificaram um aumento entre 60% a 70% no número de golpes praticados contra os idosos em meio a pandemia, e que isso se deu principalmente pela necessidade de uso dos canais remotos.

“Os golpes aumentaram no momento em que os idosos precisaram ficar em casa e acessando canais digitais dos bancos”, relatou. “Os criminosos começaram a se aproveitar que os idosos tinham mais necessidade de acessar os canais digitais.”

Neste evento que foi realizado no Palácio do Planalto, a Febraban lançou sua campanha com o intuito de ajudar a população a reconhecer possíveis golpes.

Sidney afirmou que os bancos gastam cerca R$ 2 bilhões todos os anos com fraudes e outros R$ 25 bilhões em sistemas de proteção contra a ação de criminosos.

Regras do empréstimo consignado alteradas na pandemia

A taxa máxima de juros agora é de 1,8% ao mês para o empréstimo consignado. Até o mês de março, antes da pandemia, os juros eram de 2,08% ao mês.

Dentro desta mesma instrução normativa, o instituto comunicou também que a quantidade de prestações mensais pode ser de até 84. Antes da mudança, o máximo de parcelas que os aposentados ou pensionistas podiam fazer era 72.

Além destas novidades, desde o mês de julho, os bancos estão autorizados a ofertar um prazo de carência de até três meses (90 dias) para o INSS começar a descontar o pagamento do empréstimo do benefício previdenciário.

Segundo o educador financeiro e presidente da Associação de Educadores Financeiros, Reinaldo Domingos, existem dois fatores para o segurado solicitar o empréstimo: necessidade e oportunidade.

“Se tomar esse crédito, precisa fazer uma boa faxina financeira reduzindo os meus gastos mensais para substituir esse excesso de gasto que ela pode ter por uma prestação do consignado”, explicou.

O desbloqueio do empréstimo é feito através de uma pré-autorização. O procedimento é feito pela internet e deve conter documento de identificação do segurado e um termo de autorização digitalizado.

O período de carência vai até 31 de dezembro deste ano, quando chega ao fim o decreto nº 6, de 20 de março de 2020, que estabeleceu o estado de calamidade pública.

Reinaldo lembra que o consignado é uma modalidade de empréstimo que as parcelas são descontadas diretamente na folha de pagamento ou no benefício, diferente de empréstimos de cartão de crédito, por exemplo.

“Acredito que, se a pessoa puder evitar o máximo nesse momento fazer o empréstimo, deve evitar. O aposentado, por via de regra, não tem mais condição de ter renda extra, de fazer outros trabalho”, prossegue.

Empréstimo (Imagem: Google)

Mudanças no cartão consignado do INSS

O cartão de crédito consignado direcionado aos aposentados e pensionistas também passou por mudanças. A taxa de juros agora é de 2,7% ao mês.

Domingos ressalta o cuidado com o cartão de crédito consignado, uma vez que o endividamento poderá ser ainda maior.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.