PONTOS CHAVES

  • SX do Santander usará o PIX como base 
  • Guiabolso criou uma versão semelhante para seus clientes
  • Com o PIX será possível fazer transferências e pagamentos 24 horas por dia em todos os dias da semana

Com a chegada do PIX, a nova solução de pagamentos instantâneos desenvolvido pelo Banco Central, o Santander lançou o SX, sua versão que utiliza o PIX como base. O Guiabolso também se preparou e criou uma versão semelhante da solução de pagamentos em seu aplicativo. Conheça.

publicidade
Bancos se antecipam ao lançamento do PIX e criam seu próprio pagamento instantâneo
Bancos se antecipam ao lançamento do PIX e criam seu próprio pagamento instantâneo (Imagem Google)
publicidade

Santander SX

O diretor do segmento Pessoa Física do Santander, Marcelo Labuto, disse que a instituição reconheceu que o PIX é uma grande ferramenta de bancarização da população e uma forma de fidelizar os clientes.

Por conta disso, o banco decidiu ofertar benefícios a quem utilizar a ferramenta para movimentar os recursos através do Santander. A partir deste ponto nasce o SX.

Labuto diz também que o PIX traz avanços significativos, mas ficará a critério do cliente fazer o melhor uso desta modalidade, levando em conta, por exemplo, a obrigatoriedade de ter recursos disponíveis em conta a cada transação, a qualidade do acesso à internet e a robustez do sistema da instituição financeira.

As operações poderão ser feitas através de um QR Code, uma chave alfanumérica ou suas informações pessoais cadastradas.

“O PIX tem muitas vantagens, mas não esperamos que vá substituir todas as outras modalidades de pagamentos”, explica o executivo. “Com o SX, esperamos dar aos nossos clientes bons motivos para utilizar o sistema e queremos ser, desde já, uma referência nesta tecnologia”. conclui.

PIX no Guiabolso

O Guiabolso que é uma plataforma voltada para as finanças pessoais, desenvolveu uma nova função para seu aplicativo semelhante ao PIX.

A função permite a realização de transferências entre pessoas físicas instantaneamente, justamente o que o PIX que será lançado em novembro vai oferecer.

O presidente do Guiabolso, Thiago Alvarez, disse que a função permite que as pessoas utilizem suas contas bancárias já abertas, fazendo com que não seja preciso abrir uma nova. Os usuários poderão inclusive movimentar valores entre pessoas que não são clientes da fintech.

O limite diário de transações são os mesmos determinados pelos bancos para seus clientes. A função já está em vigor para clientes do Banco do Brasil, Santander Brasil, Banco Inter, C6, Caixa Econômica Federal e Bradesco. As transações serão custeadas pelo próprio Guiabolso.

Thiago afirmou também que transações oriundas de contas do Itaú Unibanco e do Nubank serão incluídos em breve na nova função e confirmou que assim que o PIX estiver em funcionamento, o Guiabolso será totalmente integrado a solução de pagamentos.

Estas criações mostram como as instituições financeiras estão se aprimorando para antecipar as novidades do mercado e também com a intenção de fidelizar seus clientes antes da chegada da solução de pagamentos.

SX Santander (Imagem: Google)

PIX

O PIX é uma nova solução de pagamentos instantâneos que está sendo desenvolvido e operado pelo Banco Central.

Com ele será possível fazer transferências e pagamentos entre pessoas, empresas e governos de maneira simples e barata, 24 horas por dia e todos os dias da semana.

Através do PIX será possível ainda realizar cobranças em estabelecimentos físicos através de QR Code, que está sendo amplamente usado no comércio para que os clientes possam realizar seus pagamentos.

De acordo com João Manoel Mello, o diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do Banco Central, o sistema não significará uma “ruptura” no setor de meios de pagamento e sim vai funcionar ao mesmo tempo que o boleto, os cartões e os TED e DOCs.

“O Pix é mais um meio de pagamento, vai coexistir com os outros. A gente sabe que os outros entregaram muito valor para a sociedade. E este complementa, preenche lacunas e o que a sociedade achar mais conveniente usar, acho natural que caminhe”, afirmou João.

Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.