Veja quais bancos trazem a melhor opção para financiar a casa própria

O corte da taxa Selic que atingiu 2% ao ano, a mínima histórica, vem contribuindo para a redução dos juros do crédito imobiliário. Em decorrência disto, a Caixa e outros bancos privados, estão cobrando taxas parecidas em linhas que utilizam recursos da poupança.

publicidade
Veja quais bancos trazem a melhor opção para financiar a casa própria
Veja quais bancos trazem a melhor opção para financiar a casa própria (Imagem: iStock)
publicidade

De acordo com o levantamento feito pelo comparador de crédito imobiliário MelhorTaxa, atualmente os juros nos bancos estão entre 6,75% a 8,10% ao ano.

Porém, a taxa de juros é apenas um dos passos que o consumidor precisa se atentar quando quiser financiar um imóvel. A etapa mais importante é fazer uma comparação do Custo Efetivo Total (CET) do financiamento entre os bancos.

Este passo é fundamental, pois pode ser que um banco oferte uma taxa de juros menor, mas ao considerar o preço do seguro e de outros gastos do financiamento, o crédito no final das contas, pode sair mais caro.

Confira os bancos que ofertam o financiamento mais em conta em um exemplo de um mutuário de 30 anos que queira financiar um imóvel de R$ 500 mil, dê R$ 100 mil de entrada e faça o parcelamento do restante por 360 meses:

BancosJuros Efetivo AnoCET(Custo Efetivo Total Ano)Primeira ParcelaÚltima ParcelaSoma das ParcelasRenda Necessária
              Caixa6.75%7.41% R$     3,406.76 R$     1,182.91 R$         834,386.56 R$   11,355.88
              Santander6.99%7.55% R$     3,487.45 R$     1,167.38 R$         837,869.79 R$   11,624.82
              Itaú7.00%7.60% R$     3,466.49 R$     1,171.90 R$         854,273.73 R$   11,554.96
              Bradesco6.95%7.74% R$     3,497.90 R$     1,189.05 R$         837,787.12 R$   11,659.67
              BB8.10%8.75% R$     3,830.94 R$     1,185.25 R$         841,193.89 R$   12,769.79

 

A Caixa Econômica detém tanto a menor taxa de juros como também oferta o menor CET nos financiamentos.

Na sequência vem o banco Santander que anunciou a redução de 6,99% nos juros do crédito imobiliário em meio a pandemia. Após estes, vem o Itaú, Bradesco e Banco do Brasil.

No final do financiamento, a diferença é expressiva, levando em conta que o mutuário, certamente, não irá amortizar as parcelas antes do tempo estabelecido. Enquanto na Caixa o mutuário terá de arcar com R$ 834,3 mil, no Banco do Brasil o valor sobe para R$ 841,1 mil, resultando em cerca de R$ 6,8 mil a mais.

A renda que será precisa para ambos os financiamentos também é diferente, já que quanto mais alto for o valor do financiamento mais as parcelas vão pesar no orçamento.

Na Caixa, é preciso possuir renda familiar de R$ 11,3 mil, enquanto no BB ela precisa ser de R$ 12,7 mil. A primeira parcela na Caixa será de R$ 3,4 mil, e no BB R$ 3,8 mil.

Paulo AmorimPaulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.