Foi infectado pela Covid-19? Sua entrada está garantida em Fernando de Noronha

Brasileiros infectados pelo covid-19 terão acesso liberado em Fernando de Noronha. Após passar por um período de 5 meses sem receber turistas, o arquipélago voltará a realizar suas atividades. A decisão foi publicada pelo governo de Pernambuco, que optou por, inicialmente, permitir a entrada na ilha apenas daqueles que já foram diagnosticados e curados pelo covid. Dessa forma, na hora do desembarque, será preciso apresentar uma série de testes para comprovação.   

Foi infectado pela Covid-19? Sua entrada está garantida em Fernando de Noronha (Imagem: Google)
Foi infectado pela Covid-19? Sua entrada está garantida em Fernando de Noronha (Imagem: Google)

Localizada no litoral pernambucano, a Ilha de Fernando de Noronha é um dos principais destinos turísticos do país. No entanto, com a pandemia do novo coronavírus, precisou fechar suas fronteiras para qualquer atividade exterior, tendo em vista a necessidade de controlar o número de infectados.  

Após 5 meses paralisada, o governo anunciou sua abertura gradual. O processo será iniciado a partir desta terça-feira (01) e contará com uma série de regulações e normas, como a entrada apenas de pessoas já infectadas. 

“Neste primeiro momento, apenas quem já teve diagnóstico positivo para Covid-19 terá acesso ao arquipélago. Para isso, será necessário anexar, junto ao pagamento da Taxa de Preservação Ambiental (TPA), uma comprovação de que já teve a doença”, diz anota do governo de Pernambuco.  

De acordo com os gestores, a decisão tem como finalidade reduzir o número de risco de contaminação. Foi alegado que, aqueles que já tiveram a doença e se curaram, apresentam uma probabilidade menor de reter a doença, tendo em vista que até o momento no Brasil não foram divulgados casos de segunda infecção.  

Testes para comprovação 

Para poder entrar na ilha, será preciso apresentar um comprovante com o laudo médico. Até o momento estão sendo aceitos dois tipos de resultados: O IgG positivo (sorológico), com exame realizado pelos métodos de quimioluminescência, eletroquimioluminescência, ou Elisa imunoensaio, com menos de 90 dias da data do embarque; e o RT-PCR positivo (exame de nariz e garganta), com mais de 20 dias da data do embarque.  

Já no caso dos testes rápidos, feitos em aeroportos, postos médicos, entre outros, não serão considerados válidos, uma vez que não garantem que o cidadão passou pelo tratamento e cura da doença.  

Covid-19 em Noronha 

Nesse momento, Noronha já contou com 93 casos de covid, sendo 42 identificados pelo estudo epidemiológico que está sendo realizado na ilha.  

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.