Consignado do INSS: Veja quais regras foram alteradas na pandemia

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) realizou algumas alterações na obtenção do crédito consignado em meio a pandemia do coronavírus. A ideia pode atrair a atenção do aposentado ou pensionista.

Consignado do INSS: Veja quais regras foram alteradas na pandemia
Consignado do INSS: Veja quais regras foram alteradas na pandemia (Imagem Google)
publicidade

Com esta alteração, a taxa máxima de juros agora é de 1,8% ao mês para o empréstimo consignado. Até o mês de março, antes da pandemia, os juros eram de 2,08% ao mês.

Dentro desta mesma instrução normativa, o instituto comunicou também que a quantidade de prestações mensais pode ser de até 84. Antes da mudança, o máximo de parcelas que os aposentados ou pensionistas podiam fazer era 72.

Além destas novidades, desde o mês de julho, os bancos estão autorizados a ofertar um prazo de carência de até três meses (90 dias) para o INSS começar a descontar o pagamento do empréstimo do benefício previdenciário.

Segundo o educador financeiro e presidente da Associação de Educadores Financeiros, Reinaldo Domingos, existem dois fatores para o segurado solicitar o empréstimo: necessidade e oportunidade.

“Se tomar esse crédito, precisa fazer uma boa faxina financeira reduzindo os meus gastos mensais para substituir esse excesso de gasto que ela pode ter por uma prestação do consignado”, explicou.

O desbloqueio do empréstimo é feito através de uma pré-autorização. O procedimento é feito pela internet e deve conter documento de identificação do segurado e um termo de autorização digitalizado.

O período de carência vai até 31 de dezembro deste ano, quando chega ao fim o decreto nº 6, de 20 de março de 2020, que estabeleceu o estado de calamidade pública.

Reinaldo lembra que o consignado é uma modalidade de empréstimo que as parcelas são descontadas diretamente na folha de pagamento ou no benefício, diferente de empréstimos de cartão de crédito, por exemplo.

“Acredito que, se a pessoa puder evitar o máximo nesse momento fazer o empréstimo, deve evitar. O aposentado, por via de regra, não tem mais condição de ter renda extra, de fazer outros trabalho”, prossegue.

Mudanças no cartão consignado do INSS

O cartão de crédito consignado direcionado aos aposentados e pensionistas também passou por mudanças. A taxa de juros agora é de 2,7% ao mês.

Domingos ressalta o cuidado com o cartão de crédito consignado, uma vez que o endividamento poderá ser ainda maior.

Paulo AmorimPaulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.