Banco Central prevê lançamento da nota de R$200 para os próximos dias

Brasil contará com nova moeda a partir da próxima semana. Em reunião com o Supremo Tribunal Federal, o Conselho Monetário Nacional (CMN) do Banco Central conformou o lançamento da cédula de R$ 200. De acordo com os representantes da instituição, a suspensão da emissão das notas resultaria em um prejuízo sério para a economia nacional. Dessa forma, de acordo com o calendário bancário, o valor passará a entrar em circulação a partir do próximo dia 2.   

Banco Central prevê lançamento da nota de R$200 para os próximos dias
Banco Central prevê lançamento da nota de R$200 para os próximos dias (Imagem: Google)

Desde que anunciou a criação da nota de R$ 200, o Banco Central vem sendo criticado. Muitos alegam que a decisão poderá gerar uma inflação negativa para todo o país.

Outros questionam a necessidade desse recurso que deverá resultar em uma revisão monetária. Mediante tamanhas dúvidas, o STF solicitou uma explicação plausível para o caso.   

Inicialmente, o Supremo Tribunal contestou a decisão do governo sob a argumentação de que a cédula poderia causar uma grave ameaça em combate à criminalidade e lavagem de dinheiro.

Como resposta, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, garantiu à ministra Cármen Lúcia, relatora do processo, que a emissão é imprescindível para garantir o poder de circulação financeira nacional.  

Segundo ele, a proibição da nova nota “acarretaria um sério prejuízo para a execução dos serviços de meio circulante a cargo do Banco Central e para a própria sociedade em si, que vem apresentando demanda crescente por dinheiro em espécie. Com efeito, a (Casa da Moeda do Brasil) CMB já entregou ao Banco Central 7,2 milhões de cédulas de duzentos reais. Até o dia 2 de setembro de 2020, data do lançamento oficial da nova nota, a previsão é de que esse número chegue a 20 milhões de cédulas”, disse. 

Novidade deverá gerar um custo de milhões 

Para que a emissão das notas de R$ 200 seja feita, o BC deverá ser uma despesa maior do que o esperado para 2020. Ao todo, deverão ser emitidas aproximadamente 450 milhões de cédulas, conforme explica o presidente da instituição:  

“O custo das cédulas de duzentos reais é de R$325/milheiro. Esse primeiro lote de 20 milhões de cédulas de duzentos reais custou R$6,5 milhões. O Banco Central tem um contrato assinado com a CMB no valor de cerca de R$146 milhões para aquisição de 450 milhões de cédulas de duzentos reais para o exercício de 2020. Além disso, a CMB já adquiriu parcela significativa dos insumos”, completou. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.