PIX vai permitir transferências bancárias instantâneas todos os dias; entenda!

 

PONTOS CHAVES

  • PIX é uma nova plataforma de pagamentos que vai entrar em vigor no país;
  • Em outubro ele deve ser disponibilizado para os brasileiros se familiarizarem;
  • Apenas em novembro o aplicativo vai estar ativo para ser utilizado.

Nesta quarta-feira (12), o Banco Central informou que o PIX, que é o novo sistema brasileiro de pagamentos instantâneo, vai começar a realizar o cadastramento de chaves no dia 5 de outubro. 

PIX vai permitir transferências bancárias instantâneas todos os dias; entenda!
PIX vai permitir transferências bancárias instantâneas todos os dias; entenda! (Foto:Google)

Essas chaves são dados simples dos clientes que vão servir de identificação para que sejam realizadas as transferências pelo PIX. 

Apenas com uma chave cadastrada, as transferências poderão ser realizadas de forma instantânea pelo período de sete dias por semana, 24 horas

As transações que são realizadas pelo novo sistema podem ser feitas por meio de QR Code ou links gerados no smartphone, que vão poder substituir os dados bancários do recebedor.

De acordo com o Banco Central, o PIX vai estar disponível para todo o país no mês de novembro.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
OPORTUNIDADE
imagem do cartão
Você foi selecionado para ter um cartão de crédito, sem anuidade hoje mesmo.
Faça sua aplicação!
277 pessoas solicitando no momento...

O que é o PIX?

PIX vai permitir transferências bancárias instantâneas todos os dias; entenda!
PIX vai permitir transferências bancárias instantâneas todos os dias; entenda! (Foto:Google)

É um novo meio de pagamentos e transferências que foi desenvolvido pelo BC para facilitar as transações financeiras pelo país. Além disso, ele deve servir para realizar as compras e pagamento de contas.

O mercado espera que o sistema seja o grande substituto de DOCs e TEDs, por conta de ser gratuito e estar disponível a qualquer hora, sete dias por semana. 

Além disso, com o pagamento realizado por meio dele, o dinheiro caí de forma instantânea na conta cadastrada.

De acordo com o Banco Central, “Além de aumentar a velocidade em que pagamentos ou transferências são feitos e recebidos, tem o potencial de alavancar a competitividade e a eficiência do mercado; baixar o custo, aumentar a segurança e aprimorar a experiência dos clientes; promover a inclusão financeira e preencher uma série de lacunas existentes na cesta de instrumentos de pagamentos disponíveis atualmente à população”, diz.

Quando vai estar no mercado?

Nesta quarta-feira (12), foi anunciado que a fase para a realização do cadastramento vai ser de 5 de outubro, para que os usuários comecem a se familiarizar com as funções do PIX. Porém, o serviço deve ficar disponível apenas a partir de 16 de novembro.

O PIX é aplicativo?

Não, ele não é um aplicativo e nem um banco. O cliente não vai precisar abrir um conta para poder usar o PIX.

O sistema vai ficar disponível para os correntistas de qualquer banco, clientes de algumas fintechs e outras financeiras credenciadas pelo Banco Central. 

Para isso, o usuário precisa apenas de uma “conta transacional” de pessoa física ou jurídica, conta corrente, conta de poupança ou uma conta de pagamento pré-paga.

Cerca de 970 instituições mostram interesse em ter o PIX como tecnologia de intermediação de pagamentos, direta ou indiretamente. 

Hoje, temos duas opções de transferências como DOC ou TED, após o lançamento os usuários poderão utilizar o PIX. Isso vale também para os pagamentos realizados em crédito e débito.

Como se cadastrar?

Para poder se cadastrar no PIX é necessário solicitar a chave à instituição onde a conta está aberta. As pessoas físicas, deverá ser ofertado por meio do aplicativo para celular da instituição participante.

Como usar?

A ideia é reduzir a complexidade de transações financeiras, a requisição de dados para enviar dinheiro também é menor. 

Nele se dispensa os número de conta e agência bancária, que são muito utilizados em diversas transferências. Para isso, são ofertadas as seguintes alternativas:

  • Pela “chave de endereçamento” – um e-mail, CPF, número de telefone ou um código de números e letras aleatório chamado EVP;
  • Por um link gerado pelo celular; ou
  • Por leitura de QR Code.

As transações podem ser feitas sem custo entre diferentes bancos ou instituições cadastradas. 

Os clientes podem ativar o PIX para as diferentes contas de bancos que tenham, porém serão usadas diferentes chaves para cada uma das contas.

As compras realizadas no comércio, o PIX usa as mesmas formas de transferências. Por agora, os pagamentos vão depender da internet para serem realizados.

Para o ano de 2021, está sendo a forma de pagamento offline. Além disso, no futuro também será implementado o “saque PIX”, em que o recebedor realiza recebimentos no dinheiro em redes varejistas.

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.