Juros do Minha Casa Minha Vida serão reformulados na criação de novo projeto

O governo já finalizou a reformulação para o programa Minha Casa Minha Vida, programa habitacional em vigor no país. As mudanças foram no nome, que agora é Casa Verde-Amarela, e na redução das taxas de juros para a faixa 1, que atende famílias com renda mensal de até R$ 1.800.

Juros do Minha Casa Minha Vida serão reformulados na criação de novo projeto
Juros do Minha Casa Minha Vida serão reformulados na criação de novo projeto (Foto: Google)

A expectativa é que os juros anuais fiquem entre 4,25% e 4,5% ao ano, hoje é de 5%. O governo pretende atender ao menos 1 milhão de famílias ,e que cerca de 500 mil empreendimentos tenham as obras retomadas.

O programa Minha Casa Minha Vida foi criado no ano de 2009, para subsidiar a casa própria para famílias de baixa renda e oferecer condições atrativas de financiamento para as moradias populares.

Atualmente, para ter acesso aos imóveis do programa existem duas formas: a de financiamento e a de sorteio. 

A modalidade de sorteio é realizada para as famílias que têm renda mensal de até R$1.800. 

Esse grupo deve ter feito uma inscrição na prefeitura ou entidade organizadora. Após isso, é preciso aguardar ser chamado. 

Já o financiamento foi dividido por faixas de renda familiar, que determinam valor e a origem do subsídio para o financiamento. Assim como os pré-requisitos para participar do programa. 

Por meio dessas faixas também são decididos os juros e as condições de pagamento para cada família.

A faixa 1 tinham que ter até R$ 1.800 reais de renda familiar bruta. Isso permitia que o governo pagasse 90% do valor do imóvel e os 10% seriam pagos pelos beneficiários.

A faixa 1,5, a renda familiar é de até R$ 2.600. Para as famílias com renda entre R$ 1.200 o subsídio é de até R$ 47,5 mil. Para famílias com renda entre R$ 1.200 e R$2.600, o subsídio vai sendo reduzido progressivamente.

Famílias com renda até R$ 4.000, se encaixam na faixa 2. E as famílias que se encaixam na faixa 3 são as com renda de até R$ 7 mil. Nessa modalidade não há subsídio, apenas juros menores em relação aos cobrados pelos bancos. A taxa é de até 9,16% ao ano e o valor máximo do imóvel: R$ 300 mil.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.