Conta de luz vai aumentar valor em 2,68% no Pará a partir de hoje (7)

Moradores do estado do Pará devem ficar atentos as novas cobranças em suas contas de luz. Nessa quinta-feira (06), a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneelaprovou uma medida que determina um reajuste médio de 2,68% nas tarifas de energia da distribuidora Equatorial Energia Pará.  

Conta de luz vai aumentar valor em 2,68% no Pará a partir de hoje (7) (Imagem: Reprodução – Google)

A decisão foi tomada como forma de tentar conter os efeitos da pandemia do novo coronavírus para as distribuidoras e passou a valer a partir já desta sexta-feira (07). 

Nas contas de luz do mês de agosto, os moradores do Pará deverão verificar os acréscimos de 2,97% em suas residências. Já para as indústrias, a correção vai ser de apenas 0,44%, determinadas para o consumo de alta tensão.

Ao todo, a Equatorial Energia Pará atende cerca de 2,7 milhões de unidades em 144 municípios do estado.  

Governo consegue empréstimos para evitar crise elétrica  

Ao anunciar o reajuste, a Aneel garantiu ainda que o valor só não será maior devido a aceitação do empréstimo de socorro ao setor elétrico, ofertado pelo governo federal. Tentando minimizar os impactos da crise econômica do novo coronavírus, a União irá liberar mais de R$ 14,8 bilhões entre as distribuidoras de energias nacionais. 

Entretanto, a quantia ainda não é o suficiente para quitar o período em que os brasileiros ficaram livres da obrigatoriedade de quitarem suas contas de luz. Dessa forma, a solução encontrada até o momento foi a aplicação de reajustes que podem chegar até a 6,03% nas contas de cada estado.  

Medidas emergenciais adotadas 

Durante o segundo trimestre deste ano, uma das determinações do governo federal foi a suspensão dos reajustes nas contas de luz. Os brasileiros, em sua grande maioria, não tiveram acréscimos tendo em vista o clima de instabilidade financeira motivado pela pandemia. 

Além disso, houve uma parcela que ficou isenta de pagar as contas por um período de até 90 dias e amplificaram também os processos de renegociação para os inadimplentes. 

Desse modo, parte das distribuidoras poderão fechar o ano no vermelho, caso os acréscimos e empréstimos não sejam o suficiente para quitarem suas despesas.  

Até o fim do ano, o setor espera ainda um alto índice de dívidas, tendo em vista que boa parte dos cidadãos estão sendo afetados pela crise. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.