Nesta terça-feira (4), o governo anunciou que o site da Dataprev vai receber os pedidos de contestação para aqueles que tiveram o auxílio emergencial negado

publicidade
Auxílio emergencial ganha mais um canal para contestar pedido negado; veja como fazer
Auxílio emergencial ganha mais um canal para contestar pedido negado; veja como fazer (Foto: Google)
publicidade

De acordo com a nota do Ministério da Cidadania, essa plataforma é o ideal para a contestação daqueles que tiveram o seu benefício negado por conta de razões cadastrais, ou aqueles que querem fazer o pedido depois da atualização dos dados pessoais. 

Devem procurar os serviços:

  1. cidadãos que completaram 18 anos recentemente;
  2. foram servidores públicos ou militares e perderam vínculo;
  3. novos desempregados que não tenham acesso a outros programas sociais, como o seguro-desemprego.

Segundo os dados da Caixa, 438,5 mil cadastros estão passando pela fase de reanálise. 

Até o lançamento dessa nova ferramenta, essa contestação podia ser realizada por meio do site da Caixa, pelo aplicativo “Caixa – Auxílio Emergencial”, e por solicitação via Defensoria Pública da União (DPU).

Em nota, o governo disse que “Importante ressaltar que a Dataprev já está processando as contestações feitas por meio das plataformas digitais da Caixa com dados mais atualizados. Mais de 800 mil pessoas, consideradas inicialmente inelegíveis, já foram beneficiadas pela contestação através do aplicativo e começam a receber sua primeira parcela no dia 5 de agosto”.

Ao todo, 66,9 milhões de pessoas receberam alguma parcela do Auxílio Emergencial.  Inicialmente, o auxílio seria pago em apenas três parcelas, mas por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus o governo estendeu o pagamento por mais dois meses.

Agora, está sendo estudada a possibilidade de prolongar o pagamento até o mês de dezembro deste ano. 

Auxílio emergencial

O pagamento do auxílio é realizado de acordo com a aprovação do cadastro, por isso alguns podem estar recebendo a 4ª parcela e outros podem estar na 1ª parcela ainda. 

Inicialmente, o dinheiro é depositado no Caixa Tem e só pode ser movimentado dentro dele para a realização de pagamentos e compras. 

Depois são liberados os saques e transferências de acordo com o calendário elaborado pela Caixa. 

Parcelas do auxílio de R$600

Os pagamentos serão realizados para aqueles que se inscreveram pelo aplicativo, site ou Cadastro Único mas não é beneficiário do Bolsa Família.

  • 1ª parcela: quem teve o cadastro aprovado em julho e não recebeu nenhum pagamento 
  • 2ª parcela: quem começou a receber o auxílio entre o final de junho e o começo de julho 
  • 3ª parcela: quem começou a receber o auxílio em maio 
  • 4ª parcela: quem começou a receber o auxílio em abril.

Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.