Auxílio emergencial negado ainda pode ser contestado; veja como fazer!

Milhões de brasileiros solicitaram o auxílio emergencial. Muitos vão receber a quarta parcela, outros ainda estão na primeira, segunda ou terceira. Além disso, existem os casos de que tem teve o benefício negado. Para essas situações, saiba que ainda é possível contestar e quem sabe conseguir mudar o resultado.

publicidade
Auxílio emergencial negado ainda pode ser contestado; veja como fazer!
Auxílio emergencial negado ainda pode ser contestado; veja como fazer! (Foto: Google)
publicidade

Mesmo com o fim do prazo para solicitação do auxílio, que terminou em 2 de julho, ainda é possível solicitar uma revisão, caso tenha sito reprovado.

Segundo o Ministério da Cidadania, cada usuário pode realizar apenas uma nova solicitação, pedindo outra avaliação dos dados.

Veja o passo a passo para recorrer do auxílio emergencial

  1. O mais importante é saber que é possível contestar a análise do auxílio emergencial de duas formas: uma pelo site, através do endereço auxilio.caixa.gov.br e outra através do aplicativo Caixa Tem.
  2. Caso faça a contestação pelo site, o usuário precisa clicar em “Acompanhe sua solicitação”;
  3. Pelo aplicativo, o usuário deve inserir seu CPF;
  4. Em seguida, leia as informações disponíveis no item “Auxílio emergencial não aprovado”;
  5. Caso exista alguma informação que tenha sido cadastrada de forma errada, selecione a opção “Realizar nova solicitação”;
  6. Com todas as informações corretas, clique em “Contestar essa informação”.

Os beneficiários que tenham qualquer tipo de dificuldade, podem recorrer à Defensoria Pública.

Vale lembrar também, que, não são todos os casos que permitem uma nova solicitação. Para ter esse direito, é preciso que tenha recebido qualquer uma dessas respostas:

  • Cidadão recebe benefício previdenciário ou assistencial;
  • Cidadão com renda familiar mensal superior a meio salário mínimo por pessoa e a três salários mínimos no total;
  • Cidadão é servidor público
  • RPPS/Siape;
  • Cidadão recebe seguro-desemprego ou seguro-defeso;
  • Cidadão possui emprego formal;
  • Dados inconclusivos.

A Caixa Econômica Federal afirma que recebeu mais de um milhão de cadastros que estão solicitando o benefício pela primeira vez. Além disso, mais de 800 mil pessoas pediram uma nova análise.

Vale lembrar que, recentemente, o governo autorizou mais duas parcelas do auxílio emergencial. Uma será paga em julho e outra em agosto. O valor será dividido em quatro parcelas, da seguinte maneira: R$ 500, R$ 100, R$ 300 e R$ 300.

Amanda CastroAmanda Castro
Amanda Castro é graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). É responsável pela área de negócios, tráfego e otimização SEO do portal FDR. Além disso, é também redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular, finanças e programas sociais.