Perícia médica do INSS: Quem precisa fazer? Como está funcionando na pandemia?

PONTOS CHAVES

  • A perícia médica precisa ser feita por um profissional autorizado
  • Os benefícios que precisam da perícia são auxílio doença, auxílio acidente e aposentadoria por invalidez
  • Devido a pandemia o INSS está aceitando a perícia digital

Alguns trabalhadores, quando solicitam benefício do INSS, precisam passar por uma  perícia médica, já que apenas com esse processo é que a Previdência Social libera o salário do seguro. Os benefícios que precisam da perícia são: auxílio doença, auxílio acidente e aposentadoria por invalidez.

Perícia médica do INSS: Quem precisa fazer? Como está funcionando na pandemia?
Perícia médica do INSS: Quem precisa fazer? Como está funcionando na pandemia? (Foto: FDR)

Como está acontecendo a perícia na pandemia?

Perícia médica do INSS: Quem precisa fazer? Como está funcionando na pandemia?
Perícia médica do INSS: Quem precisa fazer? Como está funcionando na pandemia? (Foto:Google)

Por conta da pandemia causada pelo coronavírus, o atendimento presencial nas agências do INSS está suspenso.

O segurado terá o seu pagamento prorrogado de forma automática, por mais três parcelas. 

A antecipação deve ocorrer até o mês de outubro, quando acaba o prazo de extensão de três meses. O valor da parcela do benefício do auxílio doença e do BPC é de um salário mínimo, ou seja, de R$1.045.

Para participar da perícia médica online, e comprovar que realmente tem alguma deficiência que comprove a necessidade do benefício, devem enviar o atestado médico pelo Meu INSS, para que a concessão seja analisada.  

Como solicitar o benefício?

A solicitação deve ser feita pelo aplicativo Meu INSS. O aplicativo foi criado para proporcionar mais facilidade para o cidadão nos benefícios previdenciários ou assistenciais.

Podendo ser acessado pela internet do seu computador, ou pelo seu próprio telefone celular (Android e iOS). Por lá, estão disponíveis mais de 90 serviços oferecidos pelo órgão.

Na tela principal do aplicativo, irão aparecer os serviços mais utilizados pelos trabalhadores e em destaque os ícones dos serviços que mais são procurados pelos usuários.

Entre outros serviços, o Meu INSS apresenta o tempo que falta para o contribuinte se aposentar por idade e outro por tempo de contribuição.

Para poder solicitar o beneficiário deve acessar o Meu INSS, depois fazer login no sistema e escolher a opção “Agende sua Perícia”, no menu lateral esquerdo.

Clique em “Agendar Novo”, para primeiro pedido ou em “Agendar Prorrogação” para prorrogar o benefício.

Acompanhe o andamento pelo Meu INSS, na opção “Resultado de Requerimento/Benefício por Incapacidade”. Caso seja necessário deve enviar laudo médico pelo aplicativo.

Acompanhe o andamento pelo Meu INSS, na opção “Resultado de Requerimento/Benefício por Incapacidade”. Caso seja necessário deve enviar laudo médico pelo aplicativo.

Como enviar o atestado pelo aplicativo

1) Acesse o Meu INSS, pelo gov.br/meuinss ou pelo aplicativo. Selecione a opção “Agendar Perícia”.

2) Selecione a opção “Perícia Inicial” e, em seguida, clique em “Selecionar”.

3) Na pergunta “Você possui atestado médico”, selecione “SIM” e clique em continuar.

4) Preencha as informações pedidas e clique em “Avançar”.

5) Em “Anexos”, clique no sinal + para inserir o documento.

6) Na tela que se abre, clique em “Anexar”.

7) Agora basta selecionar o documento (seu atestado médico) que você quer anexar, clicar em “Abrir” e, em seguida, em “Enviar”.

8) Depois, selecione a agência do INSS desejada e clique em “Avançar”.

OBS: Essa será a agência onde o benefício será mantido. O INSS ressalta que o atendimento nas agências está suspenso temporariamente.

9) Marque a opção “Declaro que li e concordo com as informações acima” e clique em “Avançar”.

10) Se desejar, clique em “Gerar Comprovante” para que você o salve em seu computador ou celular.

Agências

As agências do INSS estão fechadas desde março e estavam previstas para abrirem suas portas no dia 13 de julho, porém ela foi adiada por mais 30 dias e a nova data de retorno foi marcada para o dia 3 de agosto. Nessa reabertura serão retomados cerca de 80% do atendimento.

Na primeira fase de reabertura gradual serão priorizados os seguintes serviços:

  • Perícia médica;
  • Avaliação social;
  • Cumprimento de exigência;
  • Justificação administrativa;
  • Reabilitação profissional.

Com o retorno destes serviços a ideia é acelerar os processos, uma vez que precisam essencialmente do atendimento presencial.

Na volta, o atendimento será agendado, as pessoas sem agendamento não serão atendidas nas agências para evitar aglomerações, conforme determinações do Ministério da Saúde. Já que a maioria dos atendidos pelo órgão são idosos que estão no grupo de risco do coronavírus.

Segundo informações de fontes do Instituto, essa retomada será de 60% das agências e todas as cidades grandes voltaram a ter atendimento. Os funcionários que são do grupo de risco vão continuar trabalhando de forma remota em casa.

Em áreas remotas da Amazônia, onde as comunidades ribeirinhas dependem de atendimento por meio de barco, o INSS já retomou os atendimentos físicos há duas semanas, tomando todos os cuidados preventivos como o uso de máscaras e álcool em gel para os funcionários.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.