Pronampe ganha isenção de tarifa para novas linhas de crédito

Micro e pequenas empresas poderão fazer financiamentos mais baratos. Nessa segunda-feira (06), a Caixa Econômica Federal informou que, quem solicitar os créditos por meio do Programa de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), ficará livre da tarifa de abertura de crédito (TAC)

publicidade
Pronampe ganha isenção de tarifa para novas linhas de crédito (Imagem: Reprodução - Google)
Pronampe ganha isenção de tarifa para novas linhas de crédito (Imagem: Reprodução – Google)
publicidade

Segundo a Caixa, a decisão tem como finalidade incentivar a contratação desse produto para minimizar os impactos da crise econômica do novo coronavirus. 

Quando o Pronampe foi anunciado, ele exigia valores de entrada para os empresários, através das taxas de abertura de crédito (TAC). No entanto, mediante a quantidade de solicitações realizadas e levando em consideração o atual cenário do mercado, a Caixa voltou atrás na decisão e anulou a cobrança.  

Desse modo, para os novos e antigos contratos, não poderão mais ser cobrados valores para a abertura das linhas de crédito. Isso significa que, os empresários que já tinham custeado a taxa, deverão ter seu valor descontado no pagamento total de suas parcelas.

Pedro Guimarães, presidente da Caixa, informou que ninguém deverá ser prejudicado e que os servidores da instituição estão sendo orientados para fazer a devolução aos seus clientes.  

Sobre o Pronampe 

Trata-se de uma medida que tem como objetivo ajudar os empresários a superar a crise econômica gerada pelo novo coronavírus. Por meio do programa de créditos, as marcas poderão solicitar financiamentos para poder manter seus capitais de giro em circulação.

De acordo com o texto aprovado pelo governo federal, podem solicitar os empréstimos todas as empresas que tenham um faturamento anual de até R$ 4,8 milhões.  

Normas do financiamento 

Ao finalizar o contrato de empréstimo, o empresário terá um prazo de 36 meses de pagamento total 8 meses de carência. A primeira parcela só deve ser paga no nono mês após a validação do produto e as demais são divididas em 28 prestações.  

No que diz respeito as taxas de juros, sua máxima está igualada a Selic e deve ficar em aproximadamente 1,25% ao ano. Atualmente, a Selic está em 2,25% e poderá chegar até a 3,5%.  

Segundo a Caixa, até agora o Pronampe concedeu aproximadamente R$ 11,5 bilhões em linhas de crédito para as micro e pequenas empresas. 

Eduarda AndradeEduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco e formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.