Por que contas de água e luz crescem valor, mesmo com baixo consumo na pandemia?

Contas de água e luz estão causando mais dor de cabeça para os pequenos empresários que tiveram que ficar fechados neste período de pandemia. As contas foram tiradas pela média de consumo dos últimos 12 meses. Com isso, em alguns casos o valor a ser pago não condiz com os dias em que o negócio ficou fechado durante esse isolamento social.

Contas de água e luz crescem valor mesmo com baixo consumo na pandemia
Contas de água e luz crescem valor mesmo com baixo consumo na pandemia (Foto: Google)

Aqueles que intensificaram as atividades domésticas se deparam com uma cobrança diferente do consumo nesses meses de isolamento, acima da média do último ano.

O restaurante da empresária Natacha Fink, está fechado desde o dia 17 de março e a conta de luz veio no valor habitual de R$ 4.700.

Em abril, período em que os equipamentos não foram nem ligados o valor da conta foi de R$ 4.400 e em maio foi de R$ 4 mil.

Natacha disse que tentou por diversas vezes, por meio de um telefonema, solucionar o problema, mas não teve sucesso. Então ela decidiu enviar um e-mail há cerca de 15 dias, dizendo que o restaurante fechou, mas recebeu uma resposta automática. 

Apenas na quarta-feira (1), a empresa Light respondeu o seu e-mail dizendo que havia corrigido o valor de uma das contas e que as outras estão em análise.

Durante o período da pandemia, essa prática foi tomada como uma medida de segurança para os funcionários e consumidores da empresa. 

Sendo assim, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) liberou que as concessionárias do setor fizessem a cobrança  tendo como base a média nos 12 meses anteriores ou via autoleitura, que é feita pelo próprio cliente.

De acordo com Clauber Leite, coordenador do Programa de Energia do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), o consumidor não foi informado sobre os procedimentos e, agora, está sendo surpreendido com as cobranças podem recorrer.

“No caso do consumidor residencial, não  houve orientação de como fazer a autoleitura. No entanto, ao ser faturado pela média, quem passou esses meses em casa e consumiu mais do que a media, com a volta da leitura está recebendo de uma só vez toda a diferença desse período. O contrário aconteceu com o comércio, que estava fechado, ou com quem mudou temporariamente de endereço e, agora, terá direito a crédito na conta pelo consumo menor.”, disse.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.