A distribuidora de energia Enel, possibilita que seus clientes façam o parcelamento das contas que estiverem atrasadas. Essa medida é válida para consumidores residenciais e empresas de pequeno e médio porte dos estados de São Paulo, Goiás, Rio de Janeiro e Ceará.

publicidade
Enel vai permitir parcelamento em 12 vezes das contas de energia atrasadas
Enel vai permitir parcelamento em 12 vezes das contas de energia atrasadas (Imagem: Google)
publicidade

Esse parcelamento da conta, será feito sem a cobrança de juros. A ideia é facilitar o pagamento desses débitos para os clientes que sofreram impactos econômicos por conta da pandemia causada pelo coronavírus. 

De acordo com o Ministério de Minas e Energia, a inadimplência de consumidores em todo o país, chegou a 12% em abril neste ano.

Em média, esse índice fica em torno de 3%, segundo a pasta, que atribui o aumento dessa taxa ao período de crise econômica agravada pela pandemia.

No estado de São Paulo, os clientes podem parcelar a conta em atraso em até 12 vezes no cartão de crédito. A entrada deve ser de 13% do valor total do débito, que poderá ser pago por meio de boleto.

Depois disso, a cobrança poderá ser realizada por meio de duas opções, pela cobrança na fatura de energia ou no próprio cartão de crédito. 

Para parcelas nos estados de São Paulo, Goiás, Rio de Janeiro, o parcelamento pode ser realizados por meio do Portal de Negociação, disponível nos site das empresa, ou dos aplicativos das companhias. 

Já no Ceará, o parcelamento pode ser feito por meio da Agência Virtual da companhia, assim como pelo aplicativo. 

Em entrevista ao G1, o especialista em crédito da Enel, Náiron Guimarães, disse que os clientes podem simular várias formas de negociação e escolher a que melhor se encaixa com o orçamento familiar.

Veja os portais da Enel para negociação:

Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.