O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), fechou o ano passado com lucro líquido de cerca de R$7 bilhões, segundo os integrantes do Conselho Curador do Fundo. Agora, uma parte desse resultado será distribuído entre os cotistas com saldo na conta em 31 de dezembro do ano passado.

publicidade
Lucro do FGTS de R$7 bilhões será repartido entre os cotistas; entenda como!
Lucro do FGTS de R$7 bilhões será repartido entre os cotistas; entenda como! (Foto: FDR)
publicidade

O governo começou a depositar alguns recursos do saque emergencial do fundo nas contas digitais nesta semana.

A repartição deve ser feito de modo a assegurar aos trabalhadores um pequeno ganho real, ou seja, que está acima da inflação de 0,5 pontos percentuais, mais de 3% ao ano. 

O balanço deve ser divulgado neste mês, e a Caixa Econômica Federal terá até o dia 31 de agosto para efetuar o crédito nas contas.

Normalmente, as contas que estão vinculadas ao FGTS são remuneradas a 3% ao ano, mais a taxa referencial (TR), que hoje está zerada.

A rentabilidade já supera outros tipos de aplicação, diante da queda na taxa de juros básica da economia, que é a Selic. 

A Selic está em sua mínima histórica de 2,25% ao ano, ou seja um rendimento de 3% em 12 meses, já supera os ganhos que são registrados na caderneta de poupança e em alguns títulos do Tesouro.

Ano passado, o rendimento do FGTS chegou a bater os 6% graças a distribuição de lucros. 

O desempenho, porém, não deve ser o mesmo neste ano. O lucro de R$7 bilhões está abaixo do que foi registrado em 2018, que foi de R$12,2 bilhões em 2018 para cerca de R$7 bilhões.

O saque emergencial do FGTS das contas ativas ou inativas, foi autorizado no ano passado para estimular a economia do país, contribuindo para a redução do saldo total do Fundo.

Ano passado, em 2019, o lucro auferido em 2018 foi distribuído. Desta vez, será feita apenas uma parte.

Isso ficou a critério do Conselho Curador para decidir o montante exato. Os valores serão definidos na próxima reunião do Conselho que vai acontecer neste mês.

Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.