FGTS começa a render mais que CDI e Tesouro Selic; veja os impactos

O FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) que já foi considerado o pior tipo de investimento devido seu baixo rendimento e problemas de liquidez, isto é, que significa que seu dinheiro não pode ser retirado a qualquer momento, passou a render mais que o CDI e o Tesouro Selic.

FGTS começa a render mais que CDI e Tesouro Selic; veja os impactos
FGTS começa a render mais que CDI e Tesouro Selic; veja os impactos (Imagem: Pixabay)

Devido a taxa de referência de juros Selic estar a 2,25% ao ano, o rendimento do FGTS que era baixíssimo, apenas 3% ao ano mais Taxa Referencial (TR), que atualmente é igual a zero, já é superior a qualquer aplicação que pague o semelhante ao CDI ou à Selic.

Soma-se isso a possibilidade de divisão de lucros do fundo de garantia que começou a acontecer no mínimo parcialmente nos últimos anos.

No ano passado por exemplo, a distribuição de 100% dos R$ 12,2 bilhões em lucro do fundo no ano de 2018, causou uma rentabilidade extra de de 3% ao ano. E não há incidência de Imposto de Renda sobre o retorno do Fundo do Garantia.

Em 2019, no total, o dinheiro que ficou retido no FGTS rendeu 6,18%. No período, a Selic estava em torno de 6% e a meta de inflação estava em cerca de 4%. Por isso, a quase mínima vantagem de retorno não era tão atrativa, quando analisada a dificuldade de acesso ao dinheiro.

Atualmente, por mais que as expectativas se confirmem e não aconteça nenhuma divisão dos lucros entre os trabalhadores em 2020, o rendimento de 3% mais TR já passa na frente da maioria das aplicações de baixo risco da renda fixa. Para as pessoas que acompanham regularmente o mercado há alguns anos, isto parecia impossível.

Aplicando os R$ 1.045 do saque emergencial do FGTS, quanto terei em um ano?

Aplicação BRUTO LÍQUIDO*
Poupança R$ 1.061,51 R$ 1.061,51
Fundo DI com taxa zero R$ 1.068,51 R$ 1.063,81
Fundo DI com taxa 0,3% R$ 1.065,38 R$ 1.061,30
Tesouro Selic R$ 1.068,83 R$ 1.064,06
TESOURO IPCA (IPCA+2,66%) R$ 1.091,61 R$ 1.082,29
LCA/LCI com 100% do CDI R$ 1.068,51 R$ 1.068,51
FGTS R$ 1.076,35 R$ 1.076,35

Ingresso líquido de recursos na poupança bate recorde

No mês de maio, os depósitos de recursos na caderneta de poupança foram maiores que os saques em R$ 37,201 bilhões. De acordo com o Banco Central, este foi o maior ingresso líquido de recursos desde 1995, início da série histórica do Banco Central, ou seja, em 26 anos.

Esse foi o terceiro mês de ingresso líquido de recursos na poupança este ano. Em janeiro, R$ 12,356 bilhões foram sacados das cadernetas. Já em fevereiro, outros R$ 3,571 bilhões saíram dessa modalidade de investimento. Por fim, em março os depósitos foram maiores que os saques em R$ 12,168 bilhões.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.