publicidade

Depois de muitas indecisões, finalmente foi confirmado pelo ministro da Economia Paulo Guedes, a extensão do pagamento do auxilio emergencial do governo por mais dois meses. O valor das parcelas extras também foram definidas e fixadas em R$600.

Confirmado! Guedes anuncia prorrogação do auxílio emergencial em R$600
Confirmado! Guedes anuncia prorrogação do auxílio emergencial em R$600 (Foto: Isac Nóbrega/PR)
publicidade

O ministro confirmou as informações em entrevista para a CNN Brasil. Guedes somente falou da extensão do auxílio sem confirmar valores ou período, em uma comissão mista do Congresso Nacional que acompanha a situação fiscal e a execução das medias tomadas pelo governo para atenuar os efeitos da pandemia.

Guedes disse que o anuncio será feito pelo presidente Jair Bolsonaro em uma cerimônia que irá acontecer as 16h de hoje. Esta extensão que pagará os mesmos R$600 das três parcelas inicialmente decididas, não exige uma nova legislação e pode ser feita por decreto.

A ideia inicial do governo era que a extensão fosse de três parcelas com valores decrescentes, porém a proposta enfrentou resistência no Congresso.

Paulo Guedes reconheceu que o déficit primário deste ano provavelmente ultrapassará 15% do Produto Interno Bruto (PIB), e também disse estar receoso de que a dívida bruta passe de 100% do PIB.

Renda Brasil vai substituir o auxílio emergencial

Sobre o novo programa assistencial Renda Brasil, o ministro disse que em no máximo três meses ele deve ser anunciado e provavelmente vai unificar os programas sociais.

Paulo Guedes voltou a dizer que acredita nos próximos 90 dias, o Brasil vai “surpreender o mundo”, pois vai “retomar reformas e crescimento antes do que a maioria dos analistas está prevendo”.

Projeções

Gudes aproveitou ocasião para solicitar que o Congresso aprove os novos marcos regulatórios para cabotagem, setor elétrico e petróleo, rumo à mudança do regime de partilha para concessão. Ele acredita que a partir dessas mudanças as fronteiras de investimento serão destravadas judicialmente.

Nos últimos dias o FMI (Fundo Monetário Internacional) revisou de 5,3% para 9,1% a sua projeção para a queda do PIB no país em 2020, o que representa um dos piores índices entre os países emergentes.

Segundo os economistas, um crescimento grande da atividade econômica só irá acontecer quando a pandemia for controlada. Infelizmente os números da pandemia do coronavírus no Brasil seguem aumentando e está em segundo lugar no mundo em casos e mortes.

COMENTÁRIOS

Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.

VEJA TAMBÉM