publicidade

O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) está estudando a possibilidade de fazer o pagamento de mais duas parcelas do seguro desemprego, para os trabalhadores demitidos sem justa causa no período da pandemia causada pelo coronavírus. 

Novas parcelas do seguro desemprego: quem vai receber? qual valor? Tire suas dúvidas!
Novas parcelas do seguro desemprego: quem vai receber? qual valor? Tire suas dúvidas!(Imagem FDR)
publicidade

Caso seja colocada em prática a medida vai atender a mais de 6 milhões de pessoas e causarão um impacto de R$16,1 bilhões nas contas públicas.

Hoje, o trabalhador que recebe seguro tem o pagamento de três a cinco parcelas, dependendo do tempo em que trabalhou e quantas vezes o seguro já foi solicitado 

Se a medida for aprovado, quem for demitido sem justa causa vai receber de cinco a sete parcelas do benefício. 

A votação da medida está prevista para a próxima reunião do conselho que acontece no dia 16 de julho, sendo aprovada os trabalhadores que foram demitidos entre o 20 de março e 31 de dezembro deste ano poderão receber mais duas parcelas.

Essa proposta foi feita por meio dos conselheiros que representam os trabalhadores do Condefat.

O seguro desemprego é um auxílio pago aos trabalhadores para que possam se manter por um período em que estão sem nenhuma ocupação, até que encontrem um novo emprego. 

Valor do seguro desemprego 

O valor a ser pago continuará levando em consideração a média dos salários dos últimos 3 meses anteriores a dispensa do trabalhador.

Os pescadores artesanais, empregados domésticos e o trabalhador resgatado, podem receber até 1 salário mínimo, ou seja, R$1.045.

A parcela será liberada após 30 dias da requisição ou saque da parcela anterior. O trabalhador pode acompanhar a situação de sua parcela por meio dos canais: App CAIXA Trabalhador, Serviço de Atendimento ao Cidadão, pelo 0800 726 0207, ou pelo site http://trabalho.gov.br/seguro-desemprego.

Como solicitar o benefício?

O trabalhador deve solicitar o benefício por meio do portal do governo. Assim, será preciso fazer o seu cadastro para acessar o serviço, informando o CPF, nome, telefone e e-mail.

Também estão disponível, neste tempo de pandemia, a requisição usando o aplicativo Carteira de Trabalho Digital.

COMENTÁRIOS

Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.

VEJA TAMBÉM