publicidade

Várias localidades do Brasil estão divulgando seus planos de retomada da economia, e desta vez através do governador João Azevedo (Cidadania), conhecemos o plano da Paraíba. As medidas contidas no programa podem começar a vigorar em 15 de junho, porém antes tudo os pontos serão discutidos com os representantes de alguns setores, e com a sociedade civil.

Paraíba apresenta plano para fim da quarentena no estado; conheça!
Paraíba apresenta plano para fim da quarentena no estado; conheça! (Foto Google)
publicidade

O plano de retomada da economia na Paraíba segue um estudo elaborado pela Jonhs Hopinks, da Univesity dos Estados Unidos.

O estudo estipula abordagens de acordo com as avaliações de risco de cada município paraibano e ganhou o nome de “Construindo um novo normal para a Paraíba ante aos desafio de curto, médio e longo prazo da Covid-19”.

O plano segue quatro conjuntos de indicadores comportamentais, epidemiológicos e do sistema de saúde que são:

  • Taxa de obediência ao isolamento social
  • Taxa de progressão de novos casos
  • Taxa de letalidade
  • Taxa de ocupação hospitalar.

O governador na apresentação do plano, divulgou que serão quatro bandeiras de classificação por cores que irão avaliar os municípios. A verde significa a melhor situação e autoriza os setores a funcionarem adotando as medidas de distanciamento social.

A bandeira amarela, significa restrição para o funcionamento de setores que podem significar riscos maiores para o controle do coronavírus. A vermelha por sua vez, só permite os serviços essenciais e por fim a preta, significa restrições de locomoção e ainda a possibilidade de “lockdown”.

A avaliação dos municípios vai acontecer a cada 15 dias o que vai significar se é possível avançar, ou até mesmo retroceder para medidas mais severas de prevenção.

Critérios para liberação na Paraíba

As atividades econômicas serão liberadas de acordo com os critérios da avaliação de riscos, que vai levar consideração: probalidade, impais e medidas de suavizar o risco.

Segundo o plano de retomada, os próprios segmentos podem sugerir as medidas que avaliam serem necessárias para diminuir os riscos de contágio e essas ações irão funcionar como protocolos de operação.

Mudança de fases

Os municípios precisam permanecer em cada fase por pelo menos 14 dias e registrar queda nos números de casos confirmados de Covid-19, inclusive nos últimos 14 dias.

Ainda será levada em conta a intensificação e ampliação da aplicação de testes rápidos para o diagnóstico do novo coronavírus nos municípios.

Outra forma de avaliação é de que o sistema de saúde municipal possua capacidade para atender os pacientes infectados.

COMENTÁRIOS

Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.