Fim da quarentena: veja quais cidades estão reabrindo os comércios

PONTOS CHAVES

  • Isolamento social começa a ser quebrado em algumas cidades
  • Prefeituras municipais adotam medidas de proteção para os vendedores
  • Testes contra o covid-19 começam a ser distribuídos durante a retomada

Isolamento social começa a ser amenizado em algumas regiões do país. Desde a chegada do novo coronavírus, diversas cidades brasileiras tiveram suas atividades paralisadas para evitar a contaminação do vírus. Medidas como a aplicação da quarentena ou lockdown foram adotadas nos municípios de modo que impedisse comerciantes e feirantes de exercerem seus trabalhos. No entanto, após quase três meses, as prefeituras estão pondo fim aos decretos e permitindo que esses setores voltem a funcionar. No texto abaixo, você poderá se informar sobre os locais onde os comércios foram reabertos. Confira.  

Fim da quarentena: veja quais cidades estão reabrindo os comércios (Imagem: Reprodução - Google)
Fim da quarentena: veja quais cidades estão reabrindo os comércios (Imagem: Reprodução – Google)

São Luís 

Na capital do Maranhão, os centros comerciais foram reabertos nessa segunda-feira (25). De acordo com o decreto do governador Flávio Dino, os estabelecimentos podem voltar a funcionar desde que sejam cumpridas as medidas de segurança, como a utilização de máscaras e distanciamento por pessoa.  

Além disso, a volta acontecerá em duas etapas. Inicialmente, apenas pequenos negócios, administrados por famílias e que tenham um número reduzidos de funcionários. Na sequência, demais setores como empresas e fábricas.  

Para poder funcionar, as empresas deverão adotar serviço de escala entre os funcionários e deverão respeitar o distanciamento de 2 metros. Além disso, os contratantes deverão fornecer equipamentos de segurança como máscaras e luvas.  

Outra decisão também acordada foi a abertura dessas atividades por segmento. Cada setor contará com um horário para evitar que o fluxo nos ônibus não apresente aglomerações. No que diz respeito a bares e restaurantes, estes deverão manter o serviço via delivery e o consumo no local segue vetado.  

Já as atividades vinculadas ao Poder Executivo, estas poderão ser retomadas a partir do dia 1 de junho, também sob a obrigatoriedade de máscaras, revezamento dos servidores, afastamento daqueles que estão em grupo de risco e o atendimento externo ao público segue suspenso até o dia 7 de junho. 

Quebra da quarentena no Distrito Federal  

Em Brasília, os shoppings serão reabertos nesta quarta-feira (27). De acordo com o decreto do poder público, as atividades serão retomadas sob fiscalização da vigilância sanitária de modo que possa evitar o descumprimento da utilização de máscaras e aglomerações. Ao todo, serão reabertos 20 centros comerciais.  

Ciente de que a população seguirá restrita as atividades em espaços públicos ou que aglomerem pessoas, a Fecomércio-DP estará ofertando, gratuitamente, testes rápidos de covid-19 para os funcionários, desejando certificar que não há contaminação. Serão ofertados 500 exames por dia, que deverão ser realizados na unidade do Sesc da 504 Sul, a partir das 9h. 

Quem desejar realizar o exame deve levar a credencial de comerciário ou a carteira de trabalho para comprovar o vínculo empregatício. Além disso, precisará criar um cadastro no site do governo. Os shoppings só poderão ter 50% do estacionamento utilizado e será proibido o consumo de comidas. 

No que diz respeito a outros serviços como feiras públicas, bares, restaurantes e demais atividades, até o momento as portas seguem fechadas e não há previsão para retomada.  

Belo Horizonte  

Em BH, o prefeito Alexandre Kelil permitiu que alguns setores retomassem as atividades nessa segunda-feira (25). De acordo com o seu decreto, o procedimento de reabertura acontecerá em quatro etapas, onde os serviços voltarão a funcionar de forma gradativa.  

Todos os estabelecimentos precisarão cumprir as medidas de segurança como a utilização de máscara e rodizio de servidores. Até o momento, os seguintes serviços foram autorizados: 

  • Salões de beleza; 
  • Shoppings populares. 
  • Comércio varejista dos seguintes segmentos: 
  • Comércio varejista de artigos de iluminação; 
  • Comércio varejista de artigos de cama, mesa e banho; 
  • Utensílios, móveis e equipamentos domésticos, exceto eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo; 
  • Tecidos e armarinho; 
  • Artigos de tapeçaria, cortinas e persianas; 
  • Limpeza e conservação; 
  • Artigos de papelaria, livraria e fotográficos; 
  • Brinquedos e artigos recreativos; 
  • Bicicletas e triciclos, peças e acessórios; 
  • Comércio varejista de cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal; 
  • Veículos automotores; 
  • Peças e acessórios para veículos automotores; 
  • Pneumáticos e câmaras-de-ar; 
  • Cabeleireiros, manicure e pedicure; 
  • Centros de comércio popular instituídos a qualquer tempo por Operações Urbanas visando a inclusão produtiva de camelôs, desde que localizados no hipercentro ou em Venda Nova. 

Na sequência, a prefeitura irá permitir demais setores como serviços públicos, judiciais, entre outros. Além das medidas de cuidado, a gestão está disponibilizando também a realização de testes rápidos contra o covid-19. A aplicação deve ocorrer em cerca de 30 mil pessoas e será gratuita.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.