Aprenda a planejar seus gastos e ECONOMIZAR na crise

Aqueles que estão em casa cumprindo a regra de isolamento social, necessário por conta da pandemia causada pelo coronavírus, com certeza estão gastando menos com lazer, transporte e alimentação. Porém, às vezes nem essa economia é o suficiente para equilibrar o orçamento e economizar na crise.

Aprenda a planejar seus gastos e ECONOMIZAR na crise
Aprenda a planejar seus gastos e ECONOMIZAR na crise (Imagem:Google)
publicidade

Uma das vantagens da quarentena é que como a família está em casa é possível decidir como e onde cortar os gastos.

É necessário resistir às diversas tentações, se isso não funcionar é possível cogitar medidas de alívio que os bancos estão anunciando quando se tratam de dívidas, mas conscientes de quanto de impacto terão no seu orçamento depois que isso acabar. Veja algumas dicas que podem te ajudar a economizar na crise. 

Novo orçamento

Faça os cálculos do quanto foi perdido de renda e o que a família deve priorizar na hora do pagamento, como consumos básicos e comida.

Além disso, verifique se é possível se enquadrar no benefício emergenciais que foram colocados como ajuda pelo governo. Como auxílio emergencial ou MP 936. Consulte a reserva financeira e quanto tempo ela poderá durar com base nestes recursos. 

Economize com disciplina 

Neste cenário, não faltam ideias para economizar. Mas, é preciso disciplina para seguir algumas regras, como:

  • Desligar a luz durante o dia;
  • Evitar os pedidos em fast food;
  • Preferir caminhar até o supermercado do que ir de carro (gasolina);
  • Reinventar os itens da cozinha;
  • Dividir a conta do stremming com um amigo;
  • Evitar, temporariamente, de recarregar o celular toda semana.

Economize na crise negociando suas dívidas 

Veja as suas dívidas que estão atrasadas ou que ainda vão chegar e tente negociar. Caso o  motivo para atrasar o pagamento do aluguel ou despesas com educação é a perda de renda, busque negociar com o locador, escola ou faculdade.

É possível pedir a suspensão dos valores por um determinado período e prometer pagar em um prazo maior, de forma adicional a pagamentos futuros.

Prorrogação de pagamento

Aqueles que têm financiamentos podem prorrogar as parcelas por 60 dias, no caso de financiamento de imóveis por até 90 dias. Ficar sem pagar os valores nesse período, pode ganhar fôlego. 

Mas lembre-se que mesmo com essa prorrogação, os juros vão continuar correndo, o que pode fazer a dívida dobrar. 

Sendo assim, antes de optar pela prorrogação das parcelas do financiamento ou empréstimo, verifique se não é melhor tentar portar a dívida para outros bancos que paguem juros menores, ou optar por outra modalidade de crédito mais acessível, como o crédito consignado.

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.