Cidade de SP cria centro de acolhimento para população de rua

Os moradores de rua são uma parte da população que se encontra mais vulnerável ao coronavírus. Com o alto número de pessoas que vivem nesta situação, a prefeitura de São Paulo abriu novas vagas em cinco centros esportivos da cidade para receber a população de rua com suspeita ou confirmação do coronavírus.

Cidade de SP cria centro de acolhimento para população de rua
Cidade de SP cria centro de acolhimento para população de rua (Foto Google)

Estes centros se localizam nas regiões da Sé, Santo Amaro, Luz, Santana e Mooca, e funcionam 24 horas. Para os sem teto que apresentam sintomas da Covid-19, eles são levados pro centro de acolhimento Pelezão, que fica na Lapa, onde há 106 vagas.

Já os sem-teto que fizeram o exame, testaram positivo para o corona e não apresentam complicações, são encaminhados para o centro de acolhimento Vila Clementino, na Zona Sul, que neste momento conta com 38 vagas.

Os responsáveis pelo encaminhamento são as equipes de saúde que trabalham em contato com a população de rua, e em outros serviços de assistência social.

Douglas Carneiro, secretário adjunto de Assistência e Desenvolvimento Social disse que “As pessoas que já estão nos centros de acolhida da Prefeitura e que tenham sintomas do Covid, após atendimento da saúde, quando não há necessidade de internação hospitalar, são redirecionadas para esses dois centros em função do diagnóstico ou de sintomas”.

As equipes da organização Médicos sem Fronteiras, também participam deste atendimento.

Douglas também informou que a prefeitura está a procura de locais para a criação de novos abrigos com foco no inverno. O senso de 2019, mostra que atualmente vivem nas ruas cerca de 24 mil pessoas. Deste total, 13% tem mais de 60 anos, que equivale a pelo menos 3120 do grupo de risco nas ruas.

Reclamação da população de rua

Os voluntários que trabalham diretamente com a população de rua falam de um aumento expressivo no número de reclamações dos sem-teto com relação a ação da Polícia Militar e Guarda Civil Metropolitana. Eles contam que os moradores de rua tem seus itens doados retirados pela policia.

Sobre esta informação, a Prefeitura de São Paulo disse que na última semana realizou a limpeza de alguns locais na região da Lapa, de acordo com reclamações de moradores. E que foram retirados apenas materiais considerados sem utilidade, como madeira, sofás velhos e lixo.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.