Imóvel financiado: veja passos de como receber indenização se sua casa foi inundada

Ao fazer o financiamento de um imóvel o proprietário passa a ter uma segurança quanto a algumas situações. Entre elas está a inundação, situação vivida por centenas de famílias no Rio Grande do Sul. Entenda melhor como receber indenização nesses casos.

Imóvel financiado: veja passos de como receber indenização se sua casa foi inundada (Foto: Jeane de Oliveira/ FDR)

A compra da casa própria é a realização do sonho de centenas de brasileiros. O financiamento do imóvel é uma das principais formas para tornar em sonho em realidade. Mas, por causa de eventos adversos muitas famílias acabam perdendo esse sonho.

Entre esses eventos está a inundação, situação em que a água toma conta do imóvel, fazendo com que móveis e eletrodomésticos sejam perdidos. Além de. em muitos casos, trazer estragos para a estrutura da construção. Como tem acontecido no Rio Grande do Sul nos últimos dias.

O que é seguro habitacional?

O seguro habitacional garante o pagamento das parcelas da dívida que ainda estão para vencer na data do sinistro*. Em geral ele cobre as parcelas de financiamento, valores usados para reforma ou construção de imóveis. Os imóveis relacionados às operações de consórcios também são cobertos por ele.

A contratação do seguro habitacional é obrigatória, para quem tem imóvel financiado pelo Sistema Financeiro de Habitação, no ato do financiamento ou consórcio.

“O consumidor pode optar em contratar o seguro habitacional junto ao próprio financiador ou em outra seguradora autorizada a operar seguros de pessoas ou seguro de danos, que estejam aptas a comercializar o referido seguro”, afirma a SUSEP – Superintendência de Seguros Privados.

Após a contratação, o proprietário passa a estar coberto quanto a: Morte e Invalidez Permanente; Danos Físicos ao Imóvel. O SUSEP ainda determina que a cobertura do seguro, seja de no mínimo:

O seguro tem duração durante o prazo de vigência do financiamento do imóvel. isso significa que se o financiamento for parcelado em 30 meses, o seguro terá a mesma duração. Sendo que ele poderá ser acionado em qualquer momento durante esse prazo.

*Sinistro são imprevistos ou acidentes que podem causar danos ao imóvel.

Imóvel financiado: veja passos de como receber indenização se sua casa foi inundada (Foto: Jeane de Oliveira/ FDR)

Indenização para quem perdeu a casa nas enchentes no RS

É importante ter em mente que, em geral, o seguro não cobre danos internos que sejam resultantes da chuva, como ferrugem. Por outro lado, ele acaba cobrindo os danos resultantes de alagamento.

O seguro habitacional deve ser acionado em até um ano após o sinistro, isso significa que os gaúchos têm até o próximo ano para fazer o registro. Antes disso é importante conferir o que está determinado na apólice do seu seguro. Caso tenha perdido o documento, é possível solicitar uma cópia diretamente ao banco responsável por ele.

Após acionado, o recurso é liberado dentro do prazo de 30 dias. Vale lembrar que o acionamento do seguro pode ser um pouco demorado, pois, será necessário reunir a documentação que comprove a necessidade dele.

Inclusive, a lista de documentos depende do sinistro que ocasionou o dado ao imóvel. 

Vale lembrar que dificilmente o seguro habitacional contratado no financiamento cobrirá danos em imóveis totalmente quitados. Nesses casos o cidadão deve possuir outra apólice de seguro.

O governo anunciou nesta semana uma pausa na cobrança de financiamento de imóveis no RS, saiba mais.

Seguros que podem ser acionados no Rio Grande do Sul

Segundo a Superintendência de Seguros Privados, os gaúchos podem acionar:

Lembrando que a cobertura dependerá da apólice contratada pelo cidadão. Segundo a especialista do FDR, Lila Cunha, o governo está facilitando as doações para o estado, veja como doar.

 

Jamille NovaesJamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.
Sair da versão mobile