Idosos + 60 e brasileiros desempregados ganharão R$ 1.500 do governo

Os brasileiros que vivem com auxílio financeiro do governo federal serão surpreendidos em breve. É que foi proposto pela atual gestão o aumento do salário mínimo de R$ 1.412 para R$ 1.502. Com a mudança aprovada, os idosos e os desempregados serão os principais beneficiados. 

dinheiro
Idosos + 60 e brasileiros desempregados ganharão R$ 1.500 do governo (Foto: Jeane de Oliveira/FDR)

A alteração no salário mínimo vai mexer com o pagamento do BPC (Benefício de Prestação Continuada). É que este programa usa como referência justamente o piso nacional, e nenhum beneficiado recebe menos do que o mínimo estabelecido pelo governo federal. 

Quem pode receber o pagamento do BPC?

O foco do BPC são pessoas de baixa renda que não possuem condições de trabalhar, e que por isso dependem da ajuda do governo para lidar com seus gastos básicos. 

O pedido é feito para o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e fica autorizado para aqueles que atendem aos critérios como:

Por se tratar de um auxílio social mesmo sendo pago pelo INSS o BPC não dá direito ao 13º salário, e também não paga pensão por morte aos dependentes.

Novo valor de auxílio para idosos e desempregados

A mudança de valor para o BPC vai depender da alteração no salário mínimo. O valor de R$ 1.502 traz um reajuste de 6,37% comparado ao piso atual, mas somente deve começar a valer em:

Isso porque, a quantia ainda é uma proposta que foi feita pelo governo federal, mas que depende de aprovação dos deputados e senadores. Além disso, o valor final somente será concluído quando o resultado da inflação oficial de 2024 for divulgada, o que vai acontecer no fim deste ano.

Eu listei as mudanças que o aumento do salário mínimo trarão para outros benefícios do governo, conheça cada uma delas nesta matéria.  

 

Lila CunhaLila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: lilacunha.fdr@gmail.com
Sair da versão mobile