Mutirão de renegociação de dívidas chega ao fim; conheça outra saída para regularizar finanças

O prazo para o mutirão de renegociação de dívidas bancárias encerrou na última segunda-feira, dia 15 de abril. A medida abrangeu débitos variados, como cartão de crédito, cheque especial e empréstimo consignado, desde que não garantidos por bens e não prescritos.

Mutirão de renegociação de dívidas chega ao fim; conheça outra saída para regularizar finanças. Imagem: Jeane de Oliveira/FDR

O mutirão de renegociação de dívidas foi promovido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), em colaboração com o Banco Central (BC), Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) e Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procons) de todo o Brasil.

Para facilitar a negociação, os canais oficiais dos bancos estão disponíveis, assim como o portal consumidor.gov.br, acessível aos usuários com conta no Gov.br de níveis prata ou ouro.

Os consumidores ainda podem recorrer ao Sistema Nacional de Atendimento ao Consumidor (Proconsumidor), onde são centralizadas as solicitações e queixas registradas em Procons e Defensorias Públicas.

As entidades, por sua vez, atuarão como intermediárias nas renegociações de dívidas com as instituições bancárias, buscando facilitar os acordos e ajudar os consumidores a regularizarem as finanças.

A Febraban disponibiliza vídeos com instruções detalhadas sobre o processo de renegociação de dívidas, além de conteúdo exclusivo voltado para orientação financeira, acessível na página do mutirão.

Os consumidores interessados podem encontrar informações detalhadas sobre o Mutirão de Negociação e Orientação Financeira 2024 na página “Meu Bolso em Dia Febraban”, onde têm acesso a recursos úteis para gerenciar suas finanças.

Abaixo eu te apresento como garantir a renegociação de dívidas a partir do programa Desenrola Brasil, do Governo Federal, em parceria com o Serasa. Neste link, eu te explico como participar do Feirão Limpa Nome e obter descontos de até 90%

Renegociação de dívidas pelo Desenrola Brasil 

O acesso ao Desenrola Brasil, programa de renegociação de dívidas, foi ampliado pelo Governo Federal, agora disponível não apenas no site Gov.br, mas também através do site e do aplicativo da Serasa, conforme anúncio do Ministério da Fazenda

Com mais de 12 milhões de beneficiados até o momento, o Desenrola Brasil proporcionou a renegociação de R$ 35 bilhões em dívidas, com um desconto médio de 85%. Previsto para encerrar em 31 de março, a iniciativa busca expandir suas parcerias.

O Ministério da Fazenda ajustou as regras do Desenrola Brasil para ampliar seu alcance, possibilitando agora que até mesmo credores com contas bronze no portal Gov.br participem do programa. 

Algumas mudanças foram feitas na Faixa 1 do programa, beneficiando um grupo maior de devedores. Agora, a admissão incluirá aqueles com renda mensal de até dois salários mínimos, inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) e dívida não superior a R$ 5 mil.

Para se qualificar, as dívidas devem ter sido registradas como inadimplentes entre janeiro de 2019 e dezembro de 2022, com o registro ativo até 27 de junho de 2023. A novidade é a inclusão de dívidas adquiridas por terceiros e a aceitação de devedores reinseridos entre janeiro e junho de 2023.

A portaria também estabelece os procedimentos para casos de inadimplência nas operações de crédito na Faixa 1 do Desenrola Brasil, indicando estratégias de renegociação para os agentes financeiros.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.